Glossário de termos budistas: Letras K – O

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Kadampa Termo tibetano, no qual ka significa palavra e se refere a todos os ensinamentos de Buda, dam refere-se às instruções especiais de Atisha, conhecidas como etapas do caminho à iluminação, e pa refere-se a um seguidor do budismo kadampa que incorpora todos os ensinamentos de Buda que conhece à sua prática do Lamrim.

Kalarupa Um Protetor do Dharma que é uma emanação de Manjushri.

Kangyur Coleção de todos os sutras e tantras traduzidos do sânscrito para o tibetano. Ver Tangyur.

Keajra Termo sânscrito para Terra Dakini, a terra pura de Buda Vajrayogini. Consultar Novo Guia à Terra Dakini e Novo Essência do Vajrayana.

Khädrubje (1385-1438) Um dos principais discípulos de Je Tsongkhapa, que muito fez para promover a tradição de Je Tsongkhapa depois que este morreu. Consultar Grande Tesouro de Mérito.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Lama Ver Guia Espiritual.

Lama Losang Tubwang Dorjechang Manifestação especial de Je Tsongkhapa, revelada diretamente ao grande iogue Dharmavajra. Nela, Je Tsongkhapa aparece como um monge plenamente ordenado, que usa o chapéu amarelo de abas longas dos Pandita. No seu coração está Buda Shakyamuni e no coração deste, o Conquistador Vajradhara. Na prática Oferenda ao Guia Espiritual, visualizamos nosso Guia Espiritual sob esse aspecto. “Lama” indica que ele é nosso Guia Espiritual; “Losang”, que é Je Tsongkhapa (cujo nome de ordenação era Losang Dragpa); “Tubwang”, que é Buda Shakyamuni; e “Dorjechang”, que é o Conquistador Vajradhara. Consultar Grande Tesouro de Mérito.

Lamrim Termo tibetano que significa literalmente “etapas do caminho”. Trata-se de uma apresentação especial de todos os ensinamentos de Buda, que é fácil de ser compreendida e praticada. Revela todas as etapas do caminho à iluminação. Consultar Caminho Alegre da Boa Fortuna e Novo Manual de Meditação.

Langri Tangpa, Geshe (1054-1123) Eminente mestre da tradição Kadampa, famoso por sua realização da prática de trocar eu por outros. Autor de Os oito versos do treino da mente. Consultar Oito Passos para a Felicidade.

Letra-semente Letra sagrada com base na qual uma deidade é gerada. Cada deidade possui uma letra-semente particular. Exemplos: a de Manjushri é DHI, de Tara é TAM, de Vajrayogini é BAM e de Heruka é HUM.

Libertação (Nirvana, em sânscrito) Liberdade completa do samsara e de suas causas, as delusões. Consultar Caminho Alegre da Boa Fortuna.

Linhagem Linha de instruções, passada de Guia Espiritual a discípulo, em que cada guru da corrente obteve uma experiência pessoal das instruções antes de transmiti-las aos outros.

Linhagem búdica Mente raiz de um ser senciente e sua natureza última. Linhagem búdica, natureza búdica e semente búdica são sinônimos. Todos os seres sencientes possuem uma linhagem búdica; portanto, todos têm o potencial para alcançar a budeidade.

Linhagem de Buda Ver natureza de búdica.

Lochana Buda feminino, manifestação do elemento terra de todos os Budas. Consorte de Buda Vairochana.

Lojong Ver Treino da mente.

Lorig Palavra tibetana que significa tipos de mente.

Losang Dragpa (Sumati Kirti, em sânscrito) Nome de ordenação de Je Tsongkhapa.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Madhyamika Termo sânscrito que significa “caminho do meio”. A principal das duas escolas da doutrina mahayana. Essa visão foi ensinada por Buda nos sutras Perfeição de sabedoria, durante a segunda girada da Roda do Dharma, e elucidada posteriormente por Nagarjuna e seus seguidores. Subdivide-se em duas escolas: a madhyamika-svatantrika e a madhyamika-prassangika. A segunda apresenta a visão final de Buda. Consultar Contemplações Significativas e Oceano de Néctar.

Mahakala Um Protetor do Dharma que aparece sob diferentes aspectos – com quatro ou seis braços, quatro faces etc.

Mahakaruna O Grande Compassivo, Avalokiteshvara

Mahamudra Termo sânscrito que significa literalmente “grande selo”. Segundo o sutra, refere-se à visão profunda da vacuidade. Uma vez que a vacuidade é a natureza de todos os fenômenos, ela é chamada de um “selo”, e, visto que uma realização direta da vacuidade nos capacita a conquistar o grande propósito – a libertação completa dos sofrimentos do samsara -, ela também é chamada de “grande”. De acordo com o tantra, o grande selo é a união de grande êxtase espontâneo e vacuidade. Consultar Grande Tesouro de Mérito e Clara Luz de Êxtase.

Mahassida Termo sânscrito que significa “altamente realizado”. Usado para qualificar iogues e ioguines que possuem elevadas aquisições.

Mahayana Termo sânscrito para grande veículo, o caminho espiritual à grande iluminação. A meta mahayana é alcançar a budeidade para o benefício de todos os seres vivos, abandonando por completo as delusões e suas marcas. Consultar Caminho Alegre da Boa Fortuna.

Maitreya Corporificação da bondade amorosa de todos os Budas. Na época de Buda Shakyamuni, manifestou-se como um discípulo Bodhisattva. No futuro, irá se manifestar como o quinto Buda universal.

Mala Rosário usado para contar recitações de preces ou mantras.

Maleabilidade Há dois tipos de maleabilidade: a mental e a física. A primeira é uma flexibilidade da mente induzida por concentração virtuosa. A segunda é um objeto tátil, flexível e leve dentro do corpo, que se desenvolve quando, por meio da meditação, um vento puro permeia o corpo.

Mamaki Um Buda feminino, manifestação do elemento água de todos os Budas. Consorte de Buda Ratnassambhava.

Manjushri Corporificação da sabedoria de todos os Budas. Na época de Buda Shakyamuni, manifestou-se como um discípulo Bodhisattva. Consultar Grande Tesouro de Mérito e Joia Coração.

Mantra Termo sânscrito que significa literalmente “proteção da mente”. O mantra protege a mente contra as aparências e concepções comuns. Existem quatro tipos de mantra: mantras que são mentes, mantras que são ventos interiores, mantras que são sons e mantras que são formas. Em geral, existem três tipos de recitação de mantra: verbal, mental e vajra. Consultar Solos e Caminhos Tântricos.

Mantra secreto Sinônimo de tantra. Os ensinamentos do mantra secreto diferem dos ensinamentos do sutra por revelarem métodos de treinar a mente com o objetivo de trazer o resultado futuro – a budeidade – para o caminho atual. O mantra secreto é o caminho supremo à iluminação. O termo “mantra” indica que se trata de uma instrução especial de Buda para proteger nossa mente das aparências e concepções comuns. Os praticantes do mantra secreto superam as aparências e concepções comuns visualizando seu corpo, ambiente, prazeres e atividades como os de um Buda. O termo “secreto” indica que as práticas devem ser feitas reservadamente e apenas pelos que receberam uma iniciação tântrica. Consultar Solos e Caminhos Tântricos.

Mara/demônio Mara é o termo sânscrito para demônio e se refere a tudo que obstrui a aquisição da libertação ou da iluminação. Há quatro tipos principais: mara delusões, mara agregados contaminados, mara morte descontrolada e maras Devaputra. Destes, só os últimos são seres sencientes. Consultar Novo Coração de Sabedoria.

Marcas Existem dois tipos de marca mental: marcas de ações e marcas de delusões. Toda ação deixa uma marca em nossa consciência mental e essas marcas são potenciais cármicos para experienciarmos certos efeitos no futuro. As marcas das delusões permanecem mesmo depois de as delusões terem sido abandonadas, assim como o cheiro de alho permanece num recipiente mesmo depois de o alho ter sido removido. As marcas das delusões são obstruções à onisciência e só são completamente abandonadas pelos Budas. Consultar Caminho Alegre da Boa Fortuna.

Meditação É uma mente que se concentra num objeto virtuoso. É também uma ação mental que é causa principal de paz mental. Existem dois tipos de meditação: analítica e posicionada. Quando usamos nossa imaginação,Como Como Entender a Mente contínua-lembrança e raciocínio para encontrar nosso objeto de meditação, estamos praticando a meditação analítica. Quando encontramos o objeto e o retemos unifocadamente, estamos praticando a meditação posicionada. Existem diferentes tipos de objeto. Alguns, como impermanência ou vacuidade, são objetos apreendidos pela mente. Outros, como amor, compaixão e renúncia, são estados mentais. Fazemos a meditação analítica até que o objeto específico que estamos procurando apareça com clareza à nossa mente ou até que um determinado estado mental seja gerado. Esse objeto ou estado mental será nosso objeto da meditação posicionada. Consultar Novo Manual de Meditação.

Meditação analítica Processo mental de investigar um objeto virtuoso – analisando sua natureza, função, características e outros aspectos. Consultar Novo Manual de Meditação e Introdução ao Budismo.

Meditação posicionada Concentração unifocalizada num objeto virtuoso. Consultar Novo Manual de Meditação e Introdução ao Budismo.

Mente Aquilo que é clareza e que conhece. A mente é clareza porque sempre carece de forma e tem o poder de perceber objetos. A mente conhece porque sua função é conhecer ou perceber os objetos. Consultar Como Entender a Mente.

Mente conceitual Pensamento que apreende seu objeto por meio de uma imagem genérica, ou imagem mental. Consultar Como Entender a Mente.

Mente muito sutil Existem diferentes níveis de mente: densa, sutil e muito sutil. As mentes sutis se manifestam quando os ventos interiores se reúnem e dissolvem dentro do canal central. Consultar Clara Luz de Êxtase.

Mente não-conceitual Conhecedor para o qual seu objeto aparece claramente, sem se misturar com uma imagem genérica. Consultar Como Entender a Mente.

Mente primária Conhecedor que apreende principalmente a mera entidade de um objeto. Sinônimo de consciência. Existem seis mentes primárias: consciência visual, consciência auditiva, consciência olfativa, consciência gustativa, consciência tátil e consciência mental. Cada instante da mente contém em si uma mente primária e vários fatores mentais. Uma mente primária e seus fatores mentais acompanhantes são uma mesma entidade, mas exercem diferentes funções. Consultar Como Entender a Mente.

Mente raiz Mente muito sutil localizada no centro do chakra do coração. É conhecida como mente raiz porque todas as outras mentes surgem dela, e nela se dissolvem de volta.

Mera aparência Todos os fenômenos são meras aparências porque são imputados pela mente em decorrência de uma base de imputação adequada aparecer a essa mente. A palavra “mera” exclui a qualquer possibilidade de existência inerente. Consultar Oceano de Néctar.

Mérito Boa sorte criada por ações virtuosas. É o poder potencial para aumentar nossas boas qualidades e produzir felicidade.

Mestre vajra Guia Espiritual tântrico plenamente qualificado. Consultar Grande Tesouro de Mérito

Método Caminho espiritual que serve para amadurecer nossa linhagem búdica. Treinar em renúncia, compaixão e bodichita são exemplos de práticas do método.

Milarepa (1040-1123) Grande meditador budista tibetano, discípulo de Marpa, louvado por suas belas canções de realização.

Nalanda Monastério Nalanda Grande centro de ensino e prática budista da antiga Índia.

Meru De acordo com a cosmologia budista, montanha divina situada no centro do universo.

Mudra-ação Consorte do tantra ioga superior que auxilia o desenvolvimento de grande êxtase.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Naga Um ser não-humano que, em geral, é invisível para os humanos. Costumam viver nos oceanos do mundo, mas em alguns casos habitam terra firme, regiões rochosas ou árvores. São muito poderosos e alguns podem ser benevolentes, outros, malevolentes.

Nagarjuna Grande erudito indiano e mestre de meditação budista, que revigorou o mahayana no século I ao expor os sutras Perfeição de Sabedoria. Consultar Oceano de Néctar.

Não existente Algo que não é estabelecido por uma mente válida. Exemplos tradicionais são: um chifre na cabeça de um coelho e o filho de uma mulher estéril. Um chifre na cabeça de um coelho, por exemplo, não é estabelecido por uma mente válida e, por conseguinte, não pode ser uma verdade convencional. Consultar Novo Coração de Sabedoria.

Não-virtude Fenômeno que funciona como causa principal de sofrimento. Não-virtude pode se referir a mentes, ações ou marcas não-virtuosas ou à não-virtude última do samsara. Consultar Como Entender a Mente.

Naropa (1016-1100) Mahassidha budista indiano. Consultar Novo Guia à Terra Dakini.

Natureza búdica Mente raiz de um ser senciente e sua natureza última. Natureza, semente e linhagem de Buda são sinônimos. Todos os seres sencientes possuem a natureza búdica e, portanto, o potencial para alcançarem a budeidade.

Natureza convencional Ver natureza última.

Natureza convencional e última Todos os fenômenos possuem duas naturezas: uma natureza convencional e uma última. Por exemplo, a natureza convencional de uma mesa é a própria mesa, seu formato, sua cor, sua altura etc. A ausência de existência inerente da mesa é a sua natureza última. A natureza convencional de um fenômeno é uma verdade convencional e sua natureza última, uma verdade última. Consultar Novo Coração de Sabedoria e Oceano de Néctar.

Nirvana Ver libertação.

Nova Tradição Kadampa (NTK) A associação internacional dos centros de estudo e meditação, que segue a pura tradição do budismo mahayana, derivada dos meditadores e eruditos budistas Atisha e Je Tsongkhapa, e introduzida no ocidente pelo mestre budista venerável Geshe Kelsang Gyatso.

Nove permanências mentais Nove níveis de concentração que levam ao tranqüilo-permanecer. São elas: posicionamento da mente, contínuo-posicionamento, reposicionamento, estreito-posicionamento, controle, pacificação, pacificação completa, unifocalização, posicionamento em equilíbrio. Consultar Caminho Alegre da Boa Fortuna.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Objeto de negação Um objeto que é explicitamente negado por uma mente que realiza um fenômeno negativo. Na meditação sobre a vacuidade, ou ausência de existência inerente, o objeto de negação refere-se à existência inerente. Também conhecido como “objeto negado”.

Objeto observado Qualquer objeto que esteja sendo focado pela mente.

Obstruções à libertação que impedem a conquista da libertação. Todas as delusões, como ignorância, apego e raiva, juntamente com suas sementes, são obstruções à libertação. Também chamadas de “obstruções-delusões”.

Obstruções à onisciência Marcas das delusões que impedem uma realização simultânea e direta de todos fenômenos. Só os Budas superaram essas obstruções. Também conhecidas como “obstruções ao conhecimento”.

Oferenda ao Guia Espiritual (Lama Chöpa, em tibetano) Guru ioga especial de Je Tsongkhapa, no qual visualizamos nosso Guia Espiritual como Lama Losang Tubwang Dorjechang. As instruções dessa prática foram reveladas por Buda Manjushri na Escritura kadam emanada e, posteriormente, escritas pelo I Panchen Lama. É uma prática preliminar essencial para o mahamudra vajrayana. Consultar Grande Tesouro de Mérito.

Oferenda de torma Uma oferenda especial de comida, feita de acordo com rituais do sutra ou do tantra.

Oferenda do mandala Oferecimento de todo o universo visualizado como uma terra pura e de todos os seus habitantes, como seres puros. Consultar Grande Tesouro de Mérito e Novo Guia à Terra Dakini.

Oferenda-tsog Oferenda feita por uma assembléia de Heróis e Heroínas. Consultar Novo Guia à Terra Dakini.

Oito Grandes Filhos Os oito principais discípulos mahayana de Buda Shakyamuni: Avalokiteshvara, Manjushri, Vajrapani, Maitreya, Samantabhadra, Ksitigarbha, Sarvanivaranavishambini e Akashagarbha. Na época de Buda, eles apareceram sob o aspecto de Bodhisattvas, demonstrando o modo correto de praticar os caminhos mahayana e ajudando a expandir amplamente os ensinamentos de Buda para o benefício de todos.

Oito interesses mundanos Os objetos dos oito interesses mundanos são felicidade e sofrimento, riqueza e pobreza, elogio e crítica, boa e má reputação. São denominados mundanos, porque as pessoas mundanas estão constantemente preocupadas com eles, desejando uns e tentando evitar outros. Consultar Compaixão Universal e Caminho Alegre da Boa Fortuna.

Orgulho Fator mental deludido que, ao levar em consideração e exagerar nossas próprias boas qualidades ou posses, nos torna arrogantes. Consultar Como Entender a Mente.

Orgulho divino Um orgulho não-deludido que se considera como uma deidade e seu ambiente e prazeres como aqueles da deidade. É o antídoto às concepções comuns. Consultar Novo Guia à Terra Dakini.

Os oito versos do treino da mente Escrito pelo Bodhisattva Langri Tangpa no século XI, esse texto revela a essência do caminho à iluminação do budismo mahayana. Para um comentário completo, consultar Oito Passos para a Felicidade .

Ouvinte Um dos dois tipos de praticante hinayana. Ouvintes e Realizadores Solitários são ambos hinayanistas, mas diferem em motivação, comportamento, mérito e sabedoria. Os Realizadores Solitários são superiores aos Ouvintes em todos esses aspectos. Consultar Oceano de Néctar.