Budismo Kadampa

O site oficial da Nova Tradição Kadampa -
União Budista Kadampa Internacional
Fundador: Venerável Geshe Kelsang Gyatso

Reencarnação

Extraído do Transforme sua vida do Venerável Geshe Kelsang Gyatso

Muitas pessoas acreditam que, quando o corpo se desintegra na morte, o continuum mental cessa e a mente deixa de existir, como uma chama de vela que se apaga quando toda a cera é consumida.

Certas pessoas chegam a pensar em suicídio na esperança de que a morte ponha um fim a seus problemas e sofrimentos. Contudo, tais idéias são totalmente errôneas.

Como explicado, o corpo e a mente são entidades separadas e, assim, apesar do corpo se desintegrar na morte, o continuum da mente não é interrompido. Em vez de cessar, a mente apenas deixa o corpo atual e vai para a próxima vida.

Isso significa que para nós, os seres comuns, a morte só traz novos sofrimentos, ao invés de eliminá-los. Por não entender isso, muitas pessoas destroem suas preciosas vidas humanas cometendo suicídio.

Outra maneira de compreender a existência de vidas passadas e futuras é examinar o processo de dormir, sonhar e acordar, devido à grande semelhança que este tem com o processo de morrer, passar pelo estado intermediário e renascer.

Quando dormimos, nossos ventos interiores densos se reúnem e se dissolvem dentro de nós, e nossa mente se torna cada vez mais sutil até se transformar na mente muito sutil da clara luz do sono. Enquanto a clara luz do sono está manifesta, experimentamos o sono profundo e, aos olhos dos outros, parecemos mortos. Quando a clara luz do sono cessa, nossa mente se torna cada vez mais densa e passamos pelos diversos estágios do estado de sonho. Por fim, nossas faculdades normais de memória e de controle mental são restauradas e acordamos. Quando isso acontece, nosso mundo do sonho desaparece e percebemos o mundo do estado desperto.

Um processo muito parecido acontece quando morremos. Ao morrer, nossos ventos se dissolvem dentro de nós e nossa mente torna-se progressivamente mais sutil até a manifestação da mente muito sutil da clara luz da morte. A experiência da clara luz da morte é muito similar à do sono profundo.

Quando a clara luz da morte cessa, experienciamos as etapas do estado intermediário, ou bardo, em tibetano – um estado que é como um sonho e acontece entre a morte e o renascimento. Passados alguns dias ou semanas, o estado intermediário termina e renascemos. Assim como, ao acordar, o mundo do sonho desaparece e percebemos o mundo do estado desperto, ao renascer, as aparências do estado intermediário cessam e percebemos o mundo da nossa próxima vida.

A única diferença significativa entre esses dois processos é que, após o cessar da clara luz do sono, a conexão entre a nossa mente e o nosso corpo atual continua intacta, ao passo que, depois da clara luz da morte, ela é rompida.

Contemplando isso, podemos nos convencer da existência de vidas passadas e futuras.

Para mais informações sobre reencarnação, consulte os livros Introdução ao budismo e Caminho alegre da boa fortuna.

O espaço de aprendizagem

O espaço de aprendizagem

Como Meditar
Retiro de Meditação
Sugestão para um programa de retiros
Sessão de Meditação
Preparação para Meditar
Postura de Meditação
Convicções Budistas
O que é mente?
Reencarnação
Compaixão
Renúncia
Carma
Sobre Buda
Os Ensinamentos de Buda
A Iluminação de Buda
Ordenação de Buda
Renúncia de Buda
O Nascimento de Buda
Mais
Glossário de termos budistas
Arte budista
Sobre o Tantra
Livros sobre o tantra
Mestres Tântricos
Apego & Tantra
Níveis do Tantra
Tantra autêntico
Sobre o Darma
Publicações sobre o Darma
Centros de Darma
A prática do Darma
A Roda do Darma
Budadarma