Budismo Kadampa

Nova Tradição Kadampa – União Budista Internacional Kadampa
Fundador: Venerável Geshe Kelsang Gyatso

Caminho alegre da boa fortuna

O completo caminho budista à iluminação

Geshe Kelsang Gyatso

compre este livro online

leia um trecho

Buda demonstrou como seguir um caminho de transformação interior que leva à completa erradicação de todos os traços de negatividade e confusão da mente e à obtenção de qualidades sublimes, como a compaixão universal e a sabedoria, realizando a verdadeira natureza de todos os fenômenos.

Durante sua vida, ele deu muitos ensinamentos revelando as práticas que levam a essa realização da iluminação. Mais tarde, o grande indiano Pandit Atisha organizou todos esses ensinamentos na ordem em que devem ser praticados. Esse arranjo especial ficou conhecido como Etapas do Caminho para a Iluminação, ou Lamrim.

Em Caminho Alegre da Boa Fortuna, Geshe Kelsang fornece um comentário sistemático, passo a passo, a esses ensinamentos, tornando-os completamente acessíveis ao leitor moderno.

É um compêndio inestimável de práticas budistas essenciais.

“Este livro é de um valor inestimável.” — WORLD RELIGION


Compre este livro en Tharpa Brasil


Extrair ao máximo a nossa vida humana

Quando meditamos sobre o grande valor e raridade desta preciosa vida humana, estamos fazendo a meditação analítica que nos leva a desenvolver uma forte determinação de não desperdiçar um momento de nossa vida humana e fazer pleno uso dela, colocando o Dharma em prática.

Quando essa determinação surge claramente em nossa mente, nós a mantemos como nosso objeto de meditação, de modo que nos tornamos mais e mais acostumados a ela.

Embora agora tenhamos uma preciosa vida humana com todas as liberdades e dotes, ainda podemos achar difícil praticar o Dharma puramente porque podemos carecer de outras liberdades, como o tempo para dedicar ao estudo e à meditação. É raro encontrar alguém que tenha condições ideais, mas o impedimento mais sério para o nosso desenvolvimento espiritual é o nosso próprio falha em gerar um forte desejo de se envolver na prática.

Je Tsongkhapa disse que, para desenvolver o desejo de extrair o máximo proveito desta vida com todas as liberdades e dotes, devemos meditar em quatro pontos:

Eu preciso praticar o Dharma.
Eu posso praticar o Dharma.
Eu devo praticar o Dharma nesta vida.
Eu devo praticar o Dharma agora.

Antes de podermos desenvolver o desejo de praticar o Dharma, devemos primeiro reconhecer a necessidade de praticar o Dharma. Para fazer isso, meditamos:

Eu preciso praticar o Dharma porque quero experimentar a felicidade e evitar o sofrimento, e o único método perfeito para realizar esses objetivos é praticar o Dharma. Se eu fizer isso, eliminarei todos os meus problemas e me tornarei capaz de ajudar os outros.

Mesmo que possamos entender a necessidade de praticar o Dharma, ainda podemos pensar que somos incapazes de fazê-lo. Para superar a nossa hesitação e convencer-nos de que, uma vez que temos todas as condições necessárias, somos definitivamente capazes de praticar o Dharma, meditamos:

Eu agora tenho uma preciosa vida humana com todas as liberdades e dons, e tenho todas as condições externas necessárias, como um Guia Espiritual plenamente qualificado. Não há razão para eu ser incapaz de praticar o Dharma.

Mesmo que possamos entender a necessidade de praticar o Dharma e nos sentirmos capazes de fazê-lo, ainda podemos demorar, pensando que praticaremos em alguma vida futura. Para superar essa preguiça de procrastinação, precisamos nos lembrar de que, uma vez que será muito difícil para nós ganharmos outra preciosa vida humana, devemos praticar nesta mesma vida.

Mesmo que possamos ver que devemos praticar nesta vida, ainda podemos sentir que nossa prática pode ser adiada até a nossa aposentadoria. Para superar nossa complacência, precisamos nos lembrar de que o momento da morte é mais incerto e, portanto, o único momento para praticar é agora.

Desta forma chegamos a quatro resoluções fortes:

Eu vou praticar o Dharma.
Eu posso praticar o Dharma.
Eu vou praticar o Dharma nesta mesma vida.
Eu vou praticar o Dharma agora mesmo.

Estas quatro resoluções são inestimáveis ​​porque nos fazem gerar naturalmente um desejo espontâneo e contínuo de tirar o máximo partido da nossa preciosa vida humana. Este desejo é o nosso melhor Guia Espiritual porque nos conduz por caminhos espirituais corretos. Sem isso, nenhum conselho ou encorajamento dos outros nos levará a praticar o Dharma.

Em uma ocasião, Aryadeva e Ashvaghosa estavam prestes a ter um debate. Ashvaghosa estava de pé no limiar de uma sala com um pé dentro e um pé fora. Para testar a sabedoria de Aryadeva, ele disse “Estou saindo ou entrando?” Aryadeva respondeu “Isso depende da sua intenção. Se você quiser sair, você vai sair. Se você quiser entrar, entrará. Ashvaghosa não conseguia pensar em nada para dizer isso, porque o que Aryadeva havia dito estava perfeitamente correto.
© Geshe Kelsang Gyatso & Nova Tradição Kadampa