Novo Guia à Terra Dakini

Prática do Tantra Ioga Supremo de Buda Vajrayoguini

Geshe Kelsang Gyatso

compre este livro online

leia um trecho

Novo

Em Novo Guia para a Terra de Dakini, Geshe Kelsang fornece uma explicação abrangente da prática do Tantra Ioga Supremo de Vajrayogini, o Buda feminino da sabedoria.

As instruções sobre as onze iogas do estágio de geração ensinam como podemos criar para nós mesmos um novo mundo iluminado por meio da meditação.

As explicações detalhadas do estágio de conclusão explicam como consolidar essa experiência através de mais meditação e alcançar a realização final da paz interior permanente e o poder de beneficiar todos os seres vivos.

Os apêndices incluem uma coleção abrangente de sadhanas e outros materiais de apoio para o praticante dedicado.

“ Uma leitura deliciosa. . . Geshe Kelsang tem trazido muitas bênçãos para as nossas vidas” — TIBET JOURNAL


Compre este livro na Tharpa Brasil


A Terra Pura de Vajrayoguini

A Terra Pura Dakini exterior está além do mundo da experiência comum. É a Terra Pura do Buda Vajrayogini e Buda Heruka. Uma Terra Pura é um mundo livre de verdadeiros sofrimentos. Lugar algum do samsara é livre dos  verdadeiros sofrimentos, porque o ambiente samsárico age como uma condição para experimentar o sofrimento, ele próprio, atua como condição para experienciarmos sofrimento. Seres comuns nascem no samsara sem escolha alguma e continuamente têm que experimentar insatisfação e miséria. No entanto, se purificarmos nossa mente, purificaremos nossa experiência do mundo e, assim, alcançaremos uma Terra Pura livre de todo sofrimento.

Há diferentes Terras Puras, associadas a diferentes Budas. A Terra Pura Dakini é semelhante às Terras Puras de Tushita e Sukhavati, exceto que a Terra Pura de Heruka e Vajrayogini é a única em que os seres podem receber ensinamentos sobre o Tantra da Ioga Supremo e colocá-los em prática.

Quando, através da orientação de Vajrayogini, aqueles que são muito idosos e enfermos alcançam sua Terra Pura, eles não mais experimentarão os sofrimentos da velhice e da doença. Todos os sinais da velhice desaparecem e eles são transformados em jovens de dezesseis anos de grande beleza e vitalidade, desfrutando de um tempo de  vida ilimitado. Todos os prazeres que eles desejam aparecem espontaneamente. Eles nunca mais renascem no samsara, a menos que escolham por razões de compaixão. Todos os que chegam a esta Terra Pura receberão ensinamentos sobre o Tantra Yoga Superior diretamente de Heruka e Vajrayogini e, assim, alcançarão a iluminação rapidamente.

A Terra Pura Dakini exterior também pode ser explicado em termos da experiência pessoal de um praticante individual. Deste ponto de vista, alcançamos a Terra Pura Dakini exterior, completando as práticas do estágio de geração de Vajrayogini.

Durante nosso treinamento na meditação em estágio de geração, visualizamos nosso corpo como o corpo puro do Buda Vajrayogini, nosso entorno imediato como a mandala de Vajrayogini e nosso mundo como Terra Pura Dakini. Se nos engajarmos na prática do estágio de geração continuamente, as aparências comuns e impuras em nossa mente gradualmente diminuirão e finalmente cessarão completamente. Uma vez que tenhamos conquistado uma firme realização do estágio de geração, experimentaremos apenas aparências puras e nosso mundo será transformado em Terra Pura Dakini. O grande professor Tenpa Rabgyä disse que a Terra Pura Dakini não é um lugar distante, nem é necessário desaparecer deste mundo para alcançá-lo.

Aparências puras são experimentadas apenas por praticantes realizados. É geralmente aceito no sutra e no tantra que o mundo parece a nossa mente como defeituoso, imperfeito e insatisfatório porque nossa mente é impura – poluída pelas delusões e suas impressões. Em Ornamento para a Realização Clara, o venerável Maitreya diz que quando as mentes dos seres sencientes se tornam completamente puras, seu ambiente se torna a Terra Pura de um Buda.

Uma Terra Pura só pode ser alcançada purificando a mente. Mesmo quando tivermos alcançado a Terra Pura Dakini exterior através de uma realização firme do estágio de geração, continuaremos a parecer aos outros como um ser comum e impuro. Pessoas comuns não podem reconhecer que outra pessoa está em uma Terra Pura porque não podem perceber a Terra Pura daquela pessoa e não podem compartilhar sua experiência dela. Alguém perguntou uma vez a Milarepa em que Terra Pura alcançara a iluminação e Milarepa apontou para sua caverna. O interlocutor podia ver apenas uma caverna fria e vazia, mas para Milarepa aquela caverna era uma Terra Pura.

Porque as mentes dos seres comuns são impuras, o que quer que pareça para eles é visto como comum. Como seres comuns com aparência comum, não podemos experimentar nada totalmente puro e perfeito. Até mesmo uma emanação de Buda nos parece ter falhas. É porque temos uma aparência comum que vemos a nós mesmos e aos outros como imperfeitos – sujeitos a falhas como a doença e o envelhecimento.

De acordo com os ensinamentos do Sutra, a raiz do samsara é o auto-agarramento e os delírios que surgem dele. No entanto, de acordo com os ensinamentos do Mantra Secreto, a raiz do samsara é aparências comuns e concepções comuns. O auto-agarramento reconhecido pelos praticantes do sutra é apenas uma concepção ordinária grosseira.

Nesse contexto, qualquer ser que não seja um Buda e qualquer ambiente, prazer ou corpo que não seja de um Buda é comum. As percepções desses objetos como comuns devido a mentes impuras são aparências comuns, e as mentes que concebem os objetos dessa maneira são concepções comuns. De acordo com os ensinamentos do Mantra Secreto, aparências comuns são obstruções à onisciência e concepções comuns são obstáculos à liberação. Ambas as aparências comuns e concepções comuns têm muitos níveis de sutileza.

Um dos principais objetivos da prática da meditação no estágio de geração é superar as aparências comuns e as concepções comuns. Podemos superar aparências comuns desenvolvendo uma aparência clara de ser Vajrayogini, e podemos superar concepções comuns desenvolvendo o orgulho divino de ser Vajrayogini.

Por causa de nossas aparências e concepções comuns, experimentamos um ciclo interminável de morte comum, estado intermediário comum e renascimento comum.

Este ciclo interminável, conhecido como “samsara”, deve ser quebrado. Através da prática de estágio de geração e conclusão, podemos purificar os três estados de morte comum, estado intermediário e renascimento, e assim alcançar os três corpos de um Buda.

© Geshe Kelsang Gyatso & Nova Tradição Kadampa