Grande Tesouro de Mérito

A Prática de Confiar em um Guia Espiritual

Por Geshe Kelsang Gyatso

compre este livro online

leia um trecho

Em todos os níveis da prática budista,confiar no Guia Espiritual é considerado como fonte de inspiração, compreensão e progresso no caminho espiritual. Contudo, no tantra, essa prática é absolutamente fundamental.

Grande tesouro de mérito é um comentário a uma sublime prática denominada Oferenda ao Guia Espiritual, que é realizada publicamente duas vezes ao mês em todos os centros budistas Kadampa e, em muitos casos, diariamente pelos praticantes.

É a porta suprema de receber bênçãos para todos os praticantes, mas especialmente para aqueles que praticam o mahamudra tântrico.

Ao dar um comentário detalhado a esta prática, Geshe Kelsang explica as etapas essenciais do caminho do sutra e tantra e mostra como podemos aumentar imensamente a eficácia das nossas meditações confiando sinceramente em um Guia Espiritual qualificado.


Compre este livro na Tharpa Brasil
Compre este livro na Tharpa Canadá
Compre este livro na Tharpa EUA
Compre este livro na Tharpa Inglaterra


Todas as escolas de budismo concordam que a prática do Guru-Ioga, – ou seja, a prática de confiar em um Guia Espiritual, é a raiz do caminho espiritual e o fundamento de todas as aquisições espirituais. Podemos entender isso a partir de nossas experiências comuns. Por exemplo, se quisermos obter habilidades especiais, tornando-nos exímios em um esporte específico ou aprendendo a tocar bem um instrumento musical, buscamos naturalmente um professor qualificado nos instrua. Seguindo o exemplo de nosso professor e aplicando sinceramente suas instruções, realizamos, por fim, nosso objetivo e nos tornamos semelhantes a nosso professor. Se confiar em um professor qualificado é necessária para aquisições mundanas como essas, quão mais necessário será para aquisições espirituais, como a libertação e a iluminação?

Existem duas correntes principais no budismo: a Hinayana, ou Veículo Menor, e o Mahayana, ou Grande Veículo; e a prática de confiar em um guia espiritual é fundamental para ambas. De acordo com a corrente Hinayana, devemos considerar nosso Guia Espiritual como sendo semelhante a um Buda e, com uma mente de fé e devoção, oferecer presentes e serviços a ele ou ela e retribuir sua bondade, seguindo seus conselhos e praticando suas instruções. No entanto, de acordo com a corrente Mahayana, devemos considerar nosso Guia Espiritual como um Buda propriamente dito e, com uma mente de fé, confiar nele sinceramente, tanto em pensamentos como em ações.

O objetivo supremo de um praticante Hinayana é conquista da libertação. Isso depende de praticar os três treinamentos superiores, o que, por sua vez, depende de, primeiramente de desenvolver a motivação da renúncia. Todas essas aquisições dependem da bondade de um Guia Espiritual qualificado. Por exemplo, a motivação da renúncia não surge de modo automático em nossa mente, mas deve ser cultivada utilizando-se de métodos especiais. Primeiro, temos que compreender a natureza insatisfatória do samsara e desenvolver o desejo de escapar dele. Isso depende de termos uma compreensão clara da impermanência, renascimento, carma, refúgio e as Quatro Nobres Verdades. Sem um Guia Espiritual que nos instrua nessas práticas e nos encorajar a treiná-las, nunca obteremos essas experiências.

Uma vez que tenhamos desenvolvido a renúncia, empenhamo-nos, então, nos três treinos superiores: treino em disciplina moral superior, treino em concentração superior e treino em sabedoria superior. Para praticar disciplina moral superior, precisamos, primeiramente receber votos de um Guia Espiritual qualificado que, então, nos auxilie a praticar a disciplina moral pura, ensinando-nos o que deve ser praticado e o que deve ser evitado; e que nos demostre um exemplo imaculado para seguir.

Sobre a base do nosso treino em disciplina moral superior, praticamos concentração superior ao treinar tranquilo-permanecer em permanência tranquila. Isso requer superar os cinco obstáculos, aplicando os oito antídotos. Sem receber instruções de um Guia Espiritual qualificado, sequer temos como saber quais são esses obstáculos e antídotos, e menos ainda o que fazer com eles. Por essas razões, somente seremos capazes de progredir pelas noves permanências mentais e alcançar, por fim, o tranquilo-permanecer confiando em um Guia Espiritual, que nos dê instruções e orientação fundamentadas em sua própria experiência.

Uma vez que tenhamos alcançado o tranquilo-permanecer, se treinarmos sabedoria superior, posicionando nossa mente em concentração estritamente focada na vacuidade, rapidamente alcançaremos uma visão superior, e com ela, seremos capazes de erradicar nosso agarramento ao em-si e alcançar à libertação – desde, inicialmente gerar renúncia até o abandono do agarramento ao em-si e a conquista da libertação – são realizadas somente por meio da bondade de um Guia Espiritual qualificado.

Do mesmo modo que confiar em um Guia Espiritual qualificado é essencial para completar o caminho hinayana, é também essencial confiar em um Guia Espiritual qualificado para treinar o caminho Mahayana. Todos as etapas do caminho Mahayana – desde a gerar de equanimidade e grande compaixão até a aquisição final da Budeidade – são realizadas somente por meio da orientação e das bênçãos de um Guia Espiritual mahayana. Para ingressar no caminho mahayana, devemos, primeiramente, gerar a motivação de bodhichitta. Assim como a renúncia, essa motivação não surge naturalmente, mas precisa ser cultivada utilizando-se de métodos especiais, como a método sétuplo de causa e efeito e o método de equalizar e trocar eu por outros. Sem receber instruções e orientação de um Guia Espiritual mahayana, nunca conseguiremos obter essas preciosas realizações. Quando tivermos gerado a bodhichitta, precisaremos receber de um Guia Espiritual mahayana os votos Bodhisattva; então ele irá nos instruir sobre a prática das seis perfeições e nos guiar pelos Cinco Caminhos Mahayana e pelos dez solos do Bodhisattva até alcançarmos o Caminho Mahayana de Não-Mais-Aprender, ou a Budeidade. Sem a inspiração do puro exemplo de nosso Guia Espiritual, de suas instruções inequívocas e de suas constantes bênçãos, nunca concluiríamos esse treino.

Se o treinar as etapas do caminho do Sutra é impossível sem confiar em um Guia Espiritual, é totalmente impensável ingressar nas práticas tântricas sem confiar em um Mestre Tântrico. Os ensinamentos tântricos de Buda são muito difíceis de serem compreendidos e estão dispersos por muitas escrituras, sem qualquer indicação clara da sequência correta em que devem ser praticados. Se tentarmos praticar o Tantra sem confiar em um Mestre Tântrico qualificado, iremos somente aumentar nossa confusão. Está dito nas escrituras que não importa o tempo que fiquemos a bater fortemente a água, ela nunca produzirá manteiga; do mesmo modo, não importa o quanto tentemos praticar o Tantra sem confiar em um Guia Espiritual qualificado, nunca obteremos realizações tântricas. No entanto, se encontrarmos um Guia Espiritual Tântrico totalmente qualificado, recebermos iniciações dele, confiarmos nele com profunda fé, mantivermos puramente nossos votos e compromissos e praticarmos com sinceridade as instruções sobre o estágio de geração e o estágio de conclusão, conseguiremos alcançar facilmente a iluminação em uma breve vida humana.

Podemos, portanto ver, que todo treino espiritual, – hinayana ou mahayana, de Sutra ou de Tantra – depende da orientação e das bênçãos de um Guia Espiritual qualificado.

© Geshe Kelsang Gyatso & New Kadampa Tradition