Budismo Kadampa

O site oficial da Nova Tradição Kadampa -
União Budista Kadampa Internacional
Fundador: Venerável Geshe Kelsang Gyatso

Glossário de termos budistas

Glossário de termos budistas

Disponível exclusivamente para estudo pessoal e não poderá ser reproduzida em nenhum formato sem a permissão da Editora Tharpa.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Absorção sem discriminação Concentração do quarto reino da forma que observa o nada, e que é alcançada pela interrupção das sensações e discriminações densas. Consultar Oceano de néctar

Ações não-virtuosas Caminhos que levam aos reinos* inferiores. Existem incontáveis ações não-virtuosas, mas a maioria delas está incluída nas dez seguintes: matar, roubar, má conduta sexual, mentir, discurso divisor, discurso ofensivo, tagarelice, cobiça, maldade e adotar visões errôneas. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Agarramento-ao-verdadeiro Mente conceitual que apreende a existência verdadeira.

Agregado Em geral, todas as coisas funcionais são agregados, pois são uma agregação de suas próprias partes. Uma pessoa do reino do desejo ou da forma possui cinco agregados: forma, sensação, discriminação, fatores de composição e consciência. Seres do reino da sem-forma não têm o agregado forma, só os outros quatro. O agregado forma de uma pessoa é seu corpo. Os outros quatro são aspectos de sua mente. Os agregados de um ser do samsara denominam-se agregados contaminados. Consultar Coração de sabedoria.

Agregados contaminados Qualquer dos agregados de um ser que está no samsara: forma, sensação, discriminação, fatores de composição e consciência. Consultar Coração de sabedoria.

Akanishta Uma Terra Pura onde os Bodissatvas atingem a iluminação. Consultar Clara luz de êxtase e Solos e caminhos tântricos.

Akshobya Manifestação do agregado consciência de todos os Budas. Seu corpo é azul.

Alunos Superiores Seres superiores que ainda estão treinando nos caminhos do aprender; ou seja, Seres Superiores quer no caminho da visão quer no caminho da meditação.

Amitabha O Buda da luz infinita. Manifestação do agregado discriminação de todos os Budas. Seu corpo é vermelho.

Amitayus Buda que aumenta nosso tempo de vida, mérito e sabedoria. Ele é o aspecto corpo-fruição de Buda Amitabha.

Amoghassiddhi Manifestação do agregado fatores de composição de todos os Budas. Seu corpo é verde.

Amor Mente que deseja que os outros sejam felizes. Existem três tipos de amor: afetuoso, apreciativo e grande amor. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Análise Fator mental que examina um objeto para obter uma compreensão de sua natureza sutil. Consultar Entender a mente.

Anticonscienciosidade Fator mental deludido que deseja envolver-se irrestritamente em ações não-virtuosas. Consultar Entender a mente.

Antivigilância Fator mental deludido que, por ser incapaz de fazer a distinção entre falhas e não-falhas, leva-nos a gerar falhas.

Aparência comum Qualquer aparência ocasionada por uma mente impura. De acordo com os ensinamentos do mantra secreto, aparência comum é a principal causa do samsara. Consultar Grande tesouro de mérito.

Aparência dual A aparência de um objeto e da sua existência inerente à mente. Consultar Coração de sabedoria.

Aparência e concepção comuns Aparência comum é qualquer aparência que surja à mente pelo fato de ela ser impura. Concepção comum é qualquer mente que conceba as coisas como comuns. De acordo com os ensinamentos do mantra secreto, as aparências comuns são obstruções à onisciência, e as concepções comuns são obstruções à libertação. Consultar Solos e caminhos tântricos.

Apego Fator mental deludido que observa um objeto contaminado, considera-o como causa de felicidade e deseja possuí-lo. Consultar Entender a mente.

Aquisições (siddhi, em sânscrito) Existem dois tipos: comuns e supremas. As comuns podem ser de quatro tipos principais: pacificadoras, crescentes, de controle e iradas. As aquisições supremas são as realizações especiais de um Buda. Consultar Solos e caminhos tântricos.

Arya Termo sânscrito para “Ser Superior”. Alguém que tem uma realização direta, ou não- conceitual, da vacuidade. Pode ser um hinayana ou um mahayana.

Aspiração Fator mental que focaliza um objeto de desejo e se interessa por ele. Consultar Entender a mente.

Assanga Grande iogue e erudito indiano do século V, autor de Compêndio de abhidarma.

Atenção Fator mental cuja função é pôr em foco um atributo específico de um objeto. Consultar Entender a mente.

Atisha (982-1054) Renomado erudito e mestre de meditação indiano. Foi abade do grande monastério budista Vikramashila na época em que o budismo mahayana florescia na Índia. Foi convidado para ir ao Tibete, e sua presença contribuiu para o restabelecimento do budismo naquele país. É o autor de Luz para o caminho, o primeiro texto sobre as etapas do caminho. Sua tradição tornou-se conhecida como Tradição Kadampa. Consultar Caminho alegre da boa fortuna

Auto-agarramento Mente conceitual que considera todos os fenômenos como inerentemente existentes. O auto-agarramento dá origem a todas as demais delusões, como raiva e apego, e é a raiz de todos os sofrimentos e insatisfações. Consultar Coração de sabedoria.

Auto-apreço Atitude mental que considera nosso próprio eu como precioso e importante. É tido pelos Bodissatvas como o principal objeto a ser abandonado. Consultar Oito passos para a felicidade e Contemplações significativas.

Autoconhecedor Consciência que experiencia a si mesma.

Avalokiteshvara A corporificação da compaixão de todos os Budas. Às vezes, aparece com uma face e quatro braços, outras, com onze faces e mil braços. Na época de Buda Shakyamuni, manifestou-se como um discípulo Bodissatva. Chenrezig, em tibetano. Consultar Viver significativamente e morrer com alegria.

Avareza Fator mental deludido que, motivado por apego desejoso, agarra-se firmemente às coisas e não deseja separar-se delas.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Bardo Ver estado intermediário.

Base de imputação Todos os fenômenos são imputados às suas partes; portanto, qualquer das partes individuais ou o conjunto das partes de um fenômeno é a sua base de imputação. Um fenômeno é imputado pela mente quando sua base de imputação aparece à mente que imputa. Consultar Coração de sabedoria.

Bênção (jin gyi lab pa, em tibetano) Transformação da mente de um estado negativo para um estado positivo, de um estado infeliz para um estado feliz ou de um estado de fraqueza para um estado de força por meio da inspiração dos seres sagrados, como nosso Guia Espiritual, os Budas e os Bodissatvas.

Benzarahi Um Buda feminino, manifestação do elemento fogo de todos os Budas. Consorte de Buda Amitabha.

Bodichita Termo sânscrito para “mente de iluminação”. Bodhi significa iluminação e chitta, mente. Há dois tipos de bodichita – convencional e última. De modo geral, o termo refere-se à bodichita convencional, uma mente primária motivada por grande compaixão que busca espontaneamente a iluminação para beneficiar todos os seres vivos. A bodichita convencional pode ser de dois tipos: aspirativa e engajada. A bodichita aspirativa é uma bodichita que é um mero desejo de alcançar a iluminação para beneficiar todos os seres vivos. A bodichita engajada é uma bodichita mantida pelos votos bodissatva. A bodichita última é uma sabedoria, motivada pela bodichita convencional, que realiza diretamente a vacuidade, a natureza última dos fenômenos. Consultar Caminho alegre da boa fortuna e Contemplações significativas.

Bodichita aspirativa Mente que aspira alcançar a iluminação para beneficiar todos os seres vivos, mas que ainda não se engajou nas práticas do treino de um Bodissatva. Equivale à situação de alguém que pretende viajar, mas que ainda não se pôs a caminho.

Bodichita engajada Depois de se tomar os votos bodissatva, a bodichita aspirativa se transforma na bodichita engajada, uma mente que está de fato engajada nas práticas que levam à iluminação.

Bodichita tântrica Desejo de atingir a iluminação como uma deidade tântrica, a fim de livrar os seres sencientes do samsara o mais rapidamente possível.

Bodissatva Alguém que gerou a bodichita espontânea, mas ainda não se tornou um Buda. A partir do momento em que um praticante gera a bodichita não-artificial, ou espontânea, ele se torna um Bodissatva e ingressa no primeiro caminho mahayana, o caminho da acumulação. Bodissatva comum é aquele que ainda não realizou a vacuidade diretamente e Bodissatva Superior é quem já o fez. Consultar Caminho alegre da boa fortuna e Contemplações significativas.

Brahma Deus mundano do primeiro reino da forma. Deva, em sânscrito. Consultar Oceano de néctar.

Buda Em geral, Buda significa O Desperto, alguém que acordou do sono da ignorância e vê as coisas como elas realmente são. Um Buda é um ser que abandonou por completo todas as delusões e suas marcas. Todo ser vivo tem o potencial para se tornar um Buda. Ver Buda Shakyamuni. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Buda Shakyamuni O quarto de mil Budas que vão aparecer neste mundo durante o Éon Afortunado. Os primeiros foram: Krakuchchanda, Kanakamuni e Kashyapa. O quinto será Maitreya. Consultar Introdução ao budismo.

Budadarma Os ensinamentos de Buda e as realizações que alcançamos ao colocá-los em prática. Sinônimo de Darma.

Budeidade Sinônimo de completa iluminação. Ver Iluminação.

Budismo kadampa Escola budista mahayana fundada pelo grande mestre indiano Atisha (982-1054).

Budista Qualquer pessoa que sinceramente busque refúgio nas Três Jóias: Buda, Darma e Sanga. Consultar Introdução ao budismo.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Caminho espiritual Excelsa percepção combinada com renúncia espontânea, ou não-fabricada. Caminho espiritual, solo espiritual, veículo espiritual e excelsa sabedoria são sinônimos. Ver solo. Consultar Solos e caminhos tântricos e Oceano de néctar.

Caminho mahayana Uma realização clara no continuum mental de um Bodissatva ou Buda. Os caminhos mahayana são cinco: acumulação, preparação, visão, meditação e não-mais-aprender. Os quatro primeiros estão necessariamente no continuum de um Bodissatva e o último, no continuum de um Buda. Consultar Coração de sabedoria, Oceano de néctar e Solos e caminhos tântricos

Caminho mundano Ações contaminadas que conduzem ao renascimento samsárico. Há dois tipos: as dez ações não-virtuosas que conduzem aos reinos inferiores e as dez ações virtuosas e as concentrações contaminadas que conduzem aos reinos superiores.

Caminho profundo Inclui todas as práticas de sabedoria que conduzem a uma realização direta da vacuidade e, por fim, a aquisição do corpo-verdade de um Buda. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Caminho vasto Inclui todas as práticas do método, desde o cultivo inicial da compaixão até a aquisição final do corpo-forma de um Buda. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Caminhos supramundanos Qualquer caminho que conduza à libertação ou à iluminação. Por exemplo: as realizações de renúncia, bodichita e visão correta da vacuidade. Estritamente falando, só os seres superiores possuem caminhos supramundanos. Consultar Solos e caminhos tântricos.

Campo de Mérito Em geral, as Três Jóias. Assim como as sementes das plantas dependem de um campo para crescer, também as sementes virtuosas interiores, produzidas por ações virtuosas, dependem da Jóia Buda, da Jóia Darma e da Jóia Sanga.

Canais São condutos internos sutis do corpo, através dos quais fluem as gotas sutis movidas pelos ventos interiores. Consultar Clara luz de êxtase e Solos e caminhos tântricos .

Canal central Canal principal no centro do corpo, ao longo do qual os chakras, ou roda-canais, estão localizados. Consultar Clara luz de êxtase e Solos e caminhos tântricos.

Carma Termo sânscrito que se refere a ações. Pela força da intenção, realizamos ações com nosso corpo, fala e mente, e todas essas ações produzem efeitos. O efeito das ações virtuosas é felicidade, o das ações negativas é sofrimento. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Carma coletivo Carma que criamos quando agimos junto com os outros. Aqueles que criam carma em grupo, também experienciam seus efeitos em grupo.

Chakra Termo sânscrito, cuja tradução é roda-canal. Centro focal de onde os canais secundários saem do canal central. Meditar nesses pontos pode fazer os ventos interiores ingressarem no canal central. Consultar Clara luz de êxtase.

Chakra do coração Roda-canal que está em nosso coração. É chamado, às vezes, de coração espiritual. Consultar Clara luz de êxtase e Solos e caminhos tântricos.

Chandrakirti (circa séc.VII) Grande estudioso budista e mestre de meditação indiano que compôs, entre muitos livros, o famoso Guia ao caminho do meio, no qual explica com clareza a visão da escola madhyamika-prassangika de acordo com os ensinamentos dados por Buda nos sutras Perfeição de sabedoria. Consultar Oceano de néctar.

Charvaka Escola niilista não-budista, famosa nos dias de Buda, que negava pontos como os conhecedores inferidos, o renascimento e a lei do carma, e encorajava um estilo de vida hedonista. Consultar Clara luz de êxtase.

Chekawa, Geshe (1102-1176) Eminente Bodissatva kadampa, autor do texto Treinar a mente em sete pontos, um comentário a Os oito versos do treino da mente, de Geshe Langri Tangpa. Chekawa difundiu o estudo e a prática do treino da mente em todo o Tibete. Consultar Compaixão universal.

Chittamatra Uma das duas escolas filosóficas mahayana. Chittamatra significa “apenas a mente”. É assim denominada porque assevera que todos os fenômenos são a mera natureza da mente. Seus adeptos são os chittamatrins. Consultar Oceano de néctar.

Cinco elementos Terra, água, fogo, vento e espaço. Existem cinco elementos interiores (ligados ao continuum de uma pessoa) e cinco elementos exteriores (fora do continuum de uma pessoa).

Cinco sabedorias oniscientes As cinco excelsas sabedorias de um Buda. São elas: espelho, da igualdade, da realização singular, de cumprir atividades e do darmadhatu.

Clara aparência Uma percepção nítida do objeto de meditação. Mais especificamente, uma prática do mantra secreto, por meio da qual o praticante, depois de gerar a si próprio como uma deidade e ao seu ambiente como o mandala da deidade, tenta obter uma clara aparência do objeto de concentração como um todo. É o antídoto às aparências comuns. Consultar Guia à Terra Dakini.

Clara luz Uma mente muito sutil manifesta que percebe uma aparência que é como a de um espaço claro e vazio. Consultar Clara luz de êxtase.

Clara luz exemplo Uma mente de clara luz que realiza a vacuidade por meio de uma imagem genérica. Consultar Clara luz de êxtase. e Solos e caminhos tântricos.

Clarividência Habilidade que surge de uma concentração especial. Há cinco tipos principais: clarividência do olho divino, a habilidade de ver formas sutis e distantes; clarividência do ouvido divino, a habilidade de ouvir sons sutis e distantes; clarividência dos poderes milagrosos, a habilidade de emanar várias formas com a mente; clarividência de conhecer vidas passadas; e clarividência de conhecer a mente dos outros. Alguns seres, como os do bardo e alguns humanos e espíritos, têm clarividência contaminada, que se desenvolve devido ao carma, mas essa não é a verdadeira clarividência.

Coisa funcional Todo fenômeno que é produzido e se desintegra num instante. Sinônimo de fenômeno impermanente. Ver impermanência.

Coleção de mérito Ação virtuosa motivada pela bodichita e causa principal para se alcançar o corpo-forma de um Buda. Exemplos: fazer oferendas e prostrações aos seres sagrados com a motivação da bodichita e praticar as seis perfeições, como dar, disciplina moral ou paciência.

Coleção de sabedoria Ação mental virtuosa motivada pela bodichita e causa principal para se alcançar o corpo-verdade de um Buda. Exemplos: ouvir, contemplar e meditar sobre a vacuidade com a motivação da bodichita.

Compaixão Mente virtuosa que deseja que os outros se libertem do sofrimento. Ver grande compaixão. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Compromissos Promessas e votos assumidos quando nos engajamos em certas práticas espirituais.

Concentração Fator mental que faz sua mente primária permanecer em seu objeto unifocadamente. Em geral, os termos “estabilização mental” e “concentração” são intercambiáveis. O termo concentração é mais usado para se referir à natureza da concentração, que é unifocalização, e o termo estabilização mental é usado para se referir à função da concentração, que é estabilidade. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Concentração vajra O último instante do caminho mahayana da meditação. É o antídoto às obstruções muito sutis à onisciência. No momento seguinte, o meditador atinge o caminho mahayana do não-mais-aprender, ou budeidade.

Concepção comum Qualquer mente que conceba as coisas como comuns. Consultar Grande tesouro de mérito.

Confissão Purificação de carma negativo por meio dos quatro poderes oponentes: o poder da confiança, do arrependimento, da força oponente e da promessa. Consultar O voto do Bodissatva e Compaixão universal.

Conhecedor inferido Um conhecedor inteiramente confiável, cujo objeto é realizado na dependência direta de uma razão conclusiva. Consultar Entender a mente.

Conhecedor válido Um conhecedor não-enganoso em relação ao seu objeto conectado. Existem dois tipos: conhecedor válido inferido e conhecedor válido direto. Consultar Coração de sabedoria e Entender a mente.

Conquistador Um Buda é chamado Conquistador porque venceu os quatro tipos de maras. Ver mara.

Conquistas comuns e supremas. Ver Aquisições.

Consciência As seis consciências, ou mentes primárias, são: consciência visual, consciência auditiva, consciência olfativa, consciência gustativa, consciência tátil e consciência mental. Consultar Entender a mente.

Conscienciosidade Fator mental que, na dependência do esforço, aprecia o que é virtuoso e protege a mente contra delusão e não-virtude. Consultar Contemplações significativas.

Consideração pelos outros Fator mental cuja função é evitar ações impróprias por motivos que dizem respeito aos outros. Consultar Entender a mente.

Contato Fator mental cuja função é perceber seu objeto como agradável, desagradável ou neutro. Consultar Entender a mente.

Contentamento Ficar satisfeito com suas condições exteriores e interiores, motivado por uma intenção virtuosa.

Contínua-lembrança Fator mental cuja função é não esquecer o objeto que foi realizado pela mente primária. Consultar Entender a mente.

Corpo-ilusório Corpo divino sutil que surge, principalmente, do vento indestrutível. Quando um praticante do tantra ioga superior sai da meditação sobre a mente isolada da clara luz exemplo último, atinge um corpo que é diferente de seu corpo físico comum. Este novo corpo é o é o corpo-ilusório. Ele tem a mesma aparência que a do corpo da deidade pessoal do estágio de geração, exceto que sua cor é branca e que ele só pode ser percebido por aqueles que também geraram um corpo-ilusório. Consultar Clara luz de êxtase e Solos e caminhos tântricos.

Corpo-vajra Refere-se aos canais, gotas e ventos internos e, mais especificamente, ao corpo ilusório puro. O corpo de um Buda é conhecido como “corpo-vajra resultante”. Consultar Clara luz de êxtase .

Corpo-deidade Um corpo divino. Quando um praticante atinge o corpo ilusório, ele atinge um corpo divino, ou corpo-deidade. Não se trata do corpo de uma deidade, pois este é necessariamente o corpo de um ser tântrico iluminado. Consultar Solos e caminhos tântricos.

Corpo-emanação (nirmanakaya, em sânscrito) O corpo-forma de um Buda, que pode ser percebido pelos seres comuns.

Corpo-emanação O corpo-forma de um Buda que pode ser percebido pelos seres comuns. Existem dois tipos – o supremo e o comum. O supremo pode ser visto somente por aqueles que têm carma puro, e o comum pode ser visto por todos. Em geral, os Budas se manifestam sob diferentes formas e, embora algumas dessas emanações tenham o aspecto mundano, em essência, todas as emanações de Buda são seres plenamente iluminadas.

Corpo-emanação supremo Corpo-emanação especial que possui os 32 sinais maiores e as 80 indicações menores. Seres comuns só perceberão este corpo se tiverem carma muito puro.

Corpo-forma O corpo-fruição e o corpo-emanação de um Buda. Ver corpos de Buda.

Corpo-fruição (sambhogakaya, em sânscrito) Corpo-forma sutil de um Buda que só pode ser percebido pelos praticantes mahayana superiores, aqueles que obtiveram uma realização direta da vacuidade. Consultar Solos e caminhos tântricos.

Corpo-natureza A natureza última da mente de um Buda.

Corpos de Buda Um Buda possui quatro corpos: o corpo-verdade sabedoria, o corpo-natureza, o corpo-fruição e os corpos-emanação. O primeiro é a mente onisciente de Buda; o segundo é a vacuidade ou natureza última dessa mente; o terceiro é seu corpo-forma sutil; e o quarto é constituído pelos corpos-forma densos, que podem ser vistos pelos seres comuns e que cada Buda manifesta em número ilimitado. O corpo-verdade sabedoria e o corpo-natureza estão incluídos no corpo-verdade, e o corpo-fruição e o corpo-emanação estão incluídos no corpo-forma. Consultar Caminho alegre da boa fortuna e Solos e caminhos tântricos..

Corpo-verdade O corpo-natureza e o corpo-verdade sabedoria de um Buda. O primeiro é a mente onisciente de Buda e o segundo, a vacuidade ou a natureza última desta mente. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Corpo-verdade sabedoria A mente onisciente de um Buda.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Dakinis Budas femininos e mulheres que conquistaram a realização da clara luz significativa; as figuras masculinas são os dakas.

Dar Decisão mental virtuosa de praticar generosidade ou uma ação corporal ou verbal de praticar generosidade motivada por um estado mental virtuoso. Existem três tipos: dar coisas materiais, dar o Darma e dar destemor.

Darma Os ensinamentos de Buda e as realizações interiores alcançadas na dependência de praticá-los. Darma significa proteção. Colocando os ensinamentos de Buda em prática, protegemo-nos contra sofrimentos e problemas.

Darmakaya Palavra sânscrita que significa o corpo-verdade de um Buda.

Darmapala Protetor do Darma, em sânscrito. Manifestação de um Buda ou Bodissatva, cuja principal função é eliminar obstáculos e reunir condições necessárias para puros praticantes de Darma. Consultar Coração de sabedoria.

Dedicatória Fator mental naturalmente virtuoso. É uma intenção virtuosa que serve tanto para impedir que a virtude acumulada se degenere como para fazê-la aumentar. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Deidade (Yidam, em sânscrito) Ver iluminado tântrico

Delusão Fator mental que surge da atenção imprópria e serve para tornar nossa mente agitada e descontrolada. Existem três delusões principais: ignorância, apego desejoso e raiva. Delas nascem todas as demais: inveja, orgulho, dúvida deludida etc. Consultar Entender a mente.

Delusões inatas Aquelas que surgem naturalmente, sem especulação intelectual. Consultar Caminho alegre da boa fortuna. e Entender a mente.

Delusões intelectualmente formadas Aquelas que surgem como resultado de raciocínios incorretos ou dogmas equivocados. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.
e Entender a mente.

Demônio Mara em sânscrito. Tudo o que obstrui a aquisição da libertação ou da iluminação. Há quatro tipos principais: demônio delusões, demônio agregados contaminados, demônio morte descontrolada e os demônios Devaputra. Só os Devaputras são seres sencientes. O principal deles é o Ishvara irado, o mais elevado dos deuses do reino do desejo, que mora na Terra Controladora de Emanações. Buda é chamado de Conquistador por ter derrotado esses quatro tipos de demônios. Consultar Coração de sabedoria e Oceano de néctar.

Destruidor de Inimigos (Ahrat, em sânscrito). Praticante que abandonou todas as delusões e suas sementes por meio do treino nos caminhos espirituais e que nunca mais renascerá no samsara. Neste contexto, o termo “inimigo” refere-se às delusões.

Deus Deva, em sânscrito. Um ser do reino dos deuses, o mais elevado dos seis reinos do samsara. Há muitos tipos de deuses: alguns pertencem ao reino do desejo, outros aos reinos da forma e da sem-forma. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Deuses Quem habita o reino dos deuses, a condição mais elevada dentro do samsara. Existem diferentes tipos de deuses. Alguns pertencem ao reino do desejo, outros, aos reinos da forma e da sem-forma.

Devaputra Ver mara / demônio

Dez ações não-virtuosas Matar, roubar, má conduta sexual, mentir, discurso divisor, discurso ofensivo, tagarelice, cobiça, maldade e esposar visões errôneas. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Dez direções Os quatro pontos cardeais, os quatro pontos intermediários e as direções de cima e de baixo.

Dezesseis características das quatro nobres verdades Buda ensinou que cada uma das quatro nobres verdades possui quatro características especiais. As quatro características dos verdadeiros sofrimentos são: impermanência, sofrimento, vacuidade e vazio do si-mesmo; as quatro características das verdadeiras origens são: causa, origem, forte produção e condição; as quatro características das verdadeiras cessações são: cessação, paz, aquisição suprema e abandono definitivo; e as quatro características dos verdadeiros caminhos são: caminho, antídoto, conquista e abandonador definitivo.

Dharmakaya Termo sânscrito que significa o corpo-verdade de um Buda.

Dharmakirti (séc. VI/VII) Grande iogue e erudito budista indiano, autor de Comentário à cognição válida, um comentário ao Compêndio da cognição válida, escrito por seu Guia Espiritual, Dignaga. Consultar Entender a mente.

Dignaga Grande iogue e erudito budista indiano, autor de numerosos trabalhos de lógica e cognição, entre os quais o mais famoso intitula-se Compêndio da cognição válida.

Disciplina moral Determinação mental virtuosa de abandonar qualquer falha ou uma ação física ou verbal motivada por essa determinação. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Discriminação Fator mental cuja função é apreender os sinais particulares de um objeto. Consultar Entender a mente.

Distração Fator mental deludido que se desvia para qualquer objeto de delusão.

Dorje Shugdän Um Protetor do Darma que é uma emanação do Buda da Sabedoria Manjushri. Consultar Coração de sabedoria e Grande tesouro de mérito.

Dromtönpa (1004-1064) O discípulo mais importante de Atisha. Consultar Caminho alegre da boa fortuna..

Duas obstruções Ver obstruções à libertação e à onisciência.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Elemento(kham, em tibetano) Natureza de qualquer fenômeno. Todos os fenômenos possuem suas próprias naturezas, sendo que todas elas podem ser incluídas nos dezoito elementos. Ver cinco elementos. Consultar Coração de sabedoria e Oceano de néctar.

Elemento, os cinco (jung wa, em tibetano) Terra, água, fogo, vento e espaço. Pode-se dizer que toda matéria é composta de uma combinação desses elementos. Existem cinco elementos interiores, que fazem parte do continuum de uma pessoa, e cinco elementos exteriores, que não fazem parte do continuum de uma pessoa. Esses cinco elementos não se referem à terra de um campo, à água de um rio etc., mas sim às propriedades de solidez, liquidez, calor, movimento e espaço respectivamente.

Elementos, os quatro Terra, água, fogo e vento. Pode-se dizer que toda matéria é composta de uma combinação desses elementos. Existem quatro elementos interiores que fazem parte do continuum de uma pessoa, e quatro elementos exteriores que não fazem parte do continuum de uma pessoa. Esses quatro elementos não se referem à terra de um campo, à água de um rio etc., mas sim às propriedades de solidez, liquidez, calor e movimento, respectivamente.

Emanação Forma animada ou inanimada que é manifestada pelos Budas ou Bodissatvas elevados para beneficiar os outros.

Éon Afortunado Nome dado à atual era do mundo. Denomina-se afortunado porque é marcado pelo aparecimento de mil Budas. Buda Shakyamuni é o quarto e Buda Maitreya será o quinto. Éon negro é um éon onde nenhum Buda se manifesta.

Equilíbrio meditativo Concentração unifocalizada em um objeto virtuoso, como a vacuidade. Consultar Oceano de néctar.

Espaço não-composto Ausência de contato obstrutivo. Assim denominado porque não é produzido por causas e condições, sendo, portanto, permanente.

Espírito faminto Ser que vive num dos reinos inferiores do samsara. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Essência da boa fortuna Preces curtas que abrange as seis práticas preparatórias. Ver práticas preparatórias. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Estabilização mental Em geral, os termos estabilização mental e concentração são intercambiáveis. O termo concentração é mais usado para se referir à natureza da concentração, sua unifocalização, ao passo que o termo estabilização mental é usado para se referir à função da concentração, sua estabilidade.

Estado intermediário (bardo, em tibetano) O estado entre a morte e um próximo renascimento. Começa no instante em que a consciência deixa o corpo e termina quando ela ingressa no corpo da próxima vida. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Estágio de conclusão Realizações do tantra ioga superior geradas quando os ventos entram, permanecem e se dissolvem dentro do canal central pela força da meditação. Consultar Clara luz de êxtase e Solos e caminhos tântricos.

Estágio de geração Realização do ioga criativo que antecede a aquisição do estágio de conclusão, que é obtida com a prática de trazer os três corpos para o caminho. Nesse ioga, o praticante gera mentalmente a si próprio como uma deidade tântrica e seu ambiente como o mandala dessa deidade. A meditação no estágio de geração é denominada “ioga criativo”, porque seu objeto é criado, ou gerado, por meio de imaginação correta. Consultar Guia à Terra Dakini e Solos e caminhos tântricos.

Estupa Objeto religioso que simboliza a mente de Buda.

Etapas do caminho Lamrim em tibetano. Uma maneira especial de organizar todos os ensinamentos de Buda, que facilita sua compreensão e prática. Revela todas as etapas do caminho à iluminação. Consultar Caminho alegre da boa fortuna e Novo manual de meditação.

Etapas do caminho Ver Lamrim.

Excelsa percepção Realização espiritual que conhece perfeitamente a natureza de seu objeto principal. Às vezes, denominada “excelsa sabedoria”. Consultar Solos e caminhos tântricos..

Existência cíclica Ver samsara.

Existência inerente Modo de existência imaginado, segundo o qual os fenômenos são tidos como se existissem do seu próprio lado, independente de outros fenômenos. Na realidade, todos os fenômenos são vazios de existência inerente, porque dependem das suas partes. Consultar Coração de sabedoria e Transforme sua vida.

Existência verdadeira Uma existência que seja, de algum modo, independente de imputação conceitual.

Êxtase incontaminado Realização de êxtase associada com a sabedoria que realiza a vacuidade diretamente. Consultar Solos e caminhos tântricos e Grande tesouro de mérito.

Extremo da existência e da não-existência Buda explica o caminho do meio, refutando os dois extremos, o da existência (de que os fenômenos são inerentemente existentes) e o da não-existência (de que os fenômenos não existem de forma alguma).

Extremo do apego Apego à existência verdadeira dos fenômenos que faz alguém permanecer no samsara por causa da delusão e do carma. Também conhecido como o “extremo do samsara”.

Extremo do medo Medo dos sofrimentos do samsara que leva uma pessoa sua buscar libertação individual. Também conhecido como o “extremo da paz solitária”.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Faculdade sensorial Um poder interior localizado no exato centro de um órgão sensorial cuja função é produzir diretamente uma percepção sensorial. Existem cinco faculdades sensoriais, uma para cada tipo de percepção sensorial, a visual etc. São também denominadas “faculdades sensoriais que possuem forma”. Consultar Entender a mente.

Famílias búdicas As cinco principais são as famílias de Vairochana, Ratnassambhava, Amitabha, Amoghassidhi e Akshobya. Elas são, respectivamente, os cinco agregados purificados – forma, sensação, discriminação, fatores de composição e consciência; e as cinco excelsas sabedorias – a excelsa sabedoria espelho, a excelsa sabedoria da igualdade, a excelsa sabedoria da realização individual, a excelsa sabedoria de executar atividades e a excelsa sabedoria do Darmadhatu. Consultar Grande tesouro de mérito.

Fator mental Conhecedor que apreende, principalmente, um atributo particular de um objeto. Há 51 fatores mentais específicos. Cada momento da mente contém em si uma mente primária e vários fatores mentais. Ver mente primária. Consultar Entender a mente.

Fator mental virtuoso que serve principalmente para eliminar a antifé. Fé é uma mente naturalmente virtuosa, cuja função principal é se opor à percepção de falhas no seu objeto observado. Existem três tipos de fé: fé de acreditar, fé de admirar e fé de almejar. Consultar Transforme sua vida.

Felicidade Existem dois tipos de felicidade: mundana e supramundana. A primeira é a felicidade limitada que pode ser encontrada no samsara, como a felicidade de humanos e deuses. A segunda é a felicidade pura da libertação e da iluminação.

Felicidade mundana Felicidade limitada que pode ser encontrada no samsara, como a felicidade de humanos e deuses.

Felicidade supramundana A felicidade pura da libertação e da iluminação.

Fenômeno contaminado Qualquer fenômeno que faça surgir delusões ou cause seu aumento. Exemplos: ambientes, seres e prazeres do samsara. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Fenômeno dependente-relacionado Qualquer fenômeno que existe na dependência de outros fenômenos. Todos os fenômenos são dependente-relacionados, porque dependem de suas partes. Dependente-relacionado (ten drel, em tibetano) tem o mesmo significado que originação dependente (ten jung, em tibetano), mas, às vezes, o segundo termo quer dizer surgir na dependência de causas e condições. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Fenômeno negativo Um fenômeno que só pode ser compreendido pela eliminação explícita de um objeto de negação. Há dois tipos: fenômenos negativos afirmativos e negativos não-afirmativos. Uma negativa não-afirmativa é um fenômeno que não implica outro fenômeno positivo. A vacuidade é um exemplo, porque ela é compreendida por uma mente que nega diretamente a existência inerente, seu objeto de negação, sem compreender nenhum outro fenômeno afirmativo. Consultar Coração de sabedoria.

Fenômeno permanente É aquele que não depende de causas e que não se desintegra momento a momento. Fenômenos são permanentes ou impermanentes.

Fogo interior (Tummo, em tibetano) Calor interior localizado no centro do chakra umbilical. Consultar Grande tesouro de mérito e Guia à Terra Dakini.

Fonte-fenômeno Um fenômeno que só aparece à percepção mental.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Geshe Título concedido nos monastérios kadampa para eruditos budistas com certas qualificações. Forma abreviada das palavras ge wai she nyen, em tibetano, que significam literalmente “amigo virtuoso”.

Geshe kadampa Ver Geshe

Gota indestrutível A gota mais sutil, localizada no coração. Ela é formada pela essência das gotas branca e vermelha recebidas dos nossos pais na concepção, e engloba a mente muito sutil e seu vento montaria. Essas gotas branca e vermelha não se separam até a hora da morte, quando então se abrem, permitindo que a mente muito sutil e seu vento partam para a próxima vida. Consultar Solos e caminhos tântricos e Clara luz de êxtase.

Gotas A essência do sangue e do esperma. Quando as gotas se derretem e fluem pelos canais interiores, dão origem a uma experiência de êxtase. Consultar Solos e caminhos tântricos e Guia à Terra Dakini.

Grande compaixão Uma mente que deseja proteger todos os seres sencientes do sofrimento. Geralmente, existem três tipos: compaixão que observa os seres sencientes, compaixão que observa os fenômenos e compaixão que observa o inobservável. O primeiro tipo é a compaixão que surge ao observarmos o sofrimento dos seres vivos. O segundo tipo é a grande compaixão induzida e acompanhada por uma realização da impermanência, e a terceira é a grande compaixão induzida e acompanhada por uma realização da vacuidade. A primeira é uma grande compaixão que não é qualificada por nenhuma destas realizações. Consultar Oceano de néctar.

Grande êxtase espontâneo Êxtase especial produzido pelo derretimento das gotas no canal central. É alcançado quando controlamos nossos ventos interiores. Consultar Solos e caminhos tântricos e Grande tesouro de mérito.

Grande libertação Sinônimo da grande iluminação, ou budeidade.

Guhyasamaja Uma deidade do tantra ioga superior.

Guia ao caminho do meio Texto budista mahayana composto pelo grande erudito e iogue indiano Chandrakirti. Apresenta uma explicação clara e completa da visão madhyamika-prassangika sobre a vacuidade, conforme é ensinada nos sutras Perfeição de sabedoria. Consultar Oceano de néctar.

Guia do estilo de vida do Bodissatva Texto clássico do budismo mahayana, escrito pelo grande iogue e erudito indiano Shantideva. Apresenta todas as práticas de um Bodissatva, desde a geração inicial da bodichita até a conclusão da prática das seis perfeições. Consultar Guia do estilo de vida do Bodissatva. Para um comentário completo, consultar Contemplações significativas.

Guia Espiritual Guru, em sânscrito e Lama, em tibetano. Professor que nos guia ao longo do caminho espiritual. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Guru Termo sânscrito para Guia Espiritual.

Guru raiz Principal Guia Espiritual, que nos concedeu iniciações, instruções e transmissões orais da nossa prática central. Consultar Grande tesouro de mérito.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Hashang Monge chinês do século XII que propagou muitas opiniões incorretas no Tibete. Segundo sua interpretação, Buda ensinou que, para entender a vacuidade, é preciso esvaziar a mente de todas as concepções e meditar no nada. Ele foi publicamente derrotado em debate por Kamalashila e banido do Tibete. Consultar Oceano de néctar.

Heróis e heroínas Heróis são deidades tântricas masculinas que corporificam o método. Heroínas são deidades tântricas femininas que corporificam a sabedoria.

Heruka Uma das principais deidades do tantra-mãe. É a corporificação do êxtase e da vacuidade indivisíveis. Tem o corpo azul, quatro faces e doze braços, e abraça sua consorte, Vajravarahi. Consultar Essência do Vajrayana.

Hinayana Termo sânscrito para “pequeno veículo”. A meta deste caminho é atingir tão-somente a libertação pessoal do sofrimento por meio do completo abandono das delusões. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Hipocrisia (pretension) Fator mental deludido que, motivado por apego à riqueza ou à reputação, pretende ter qualidades que, de fato, não possui.

Humildade Fator mental virtuoso que atua, principalmente, para reduzir o orgulho deludido.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Ignorância Fator mental confuso sobre a natureza última dos fenômenos.

Iluminação O termo refere-se, em geral, à plena iluminação de um Buda. Existem três tipos de iluminação: a pequena iluminação de um Ouvinte, a iluminação mediana de um Conquistador Solitário e a grande iluminação de um Buda, ou budeidade. Uma iluminação é uma libertação e uma verdadeira cessação. Consultar Caminho alegre da boa fortuna e Clara luz de êxtase e Oceano de néctar.

Imagem genérica Objeto aparecedor de uma mente conceitual. A mente conceitual confunde a imagem genérica com o próprio objeto. Por exemplo, se pensarmos em nossa mãe, uma imagem dela aparecerá à mente conceitual. Para essa mente, é como se nossa mãe em pessoa estivesse aparecendo. No entanto, o objeto principal que aparece é a imagem genérica da nossa mãe. Essa imagem genérica aparece pela exclusão mental de todos os objetos que não são nossa mãe. Trata-se, portanto, da aparência de uma não-não-mãe. Essa imagem, como todas as imagens genéricas, é um fenômeno permanente, ao passo que nossa mãe, ela própria, é impermanente. Consultar Entender a mente.

Imagem mental Ver imagem genérica.

Impermanência Fenômenos podem ser permanentes ou impermanentes. Impermanente significa momento a momento, transitório; assim, um fenômeno impermanente é produzido e se desintegra dentro de um instante. Fenômeno impermanente, coisa funcional e produto são sinônimos. Existem dois tipos de impermanência: densa e sutil. A densa é a que se percebe por meio da percepção sensorial comum – por exemplo, o envelhecimento e a morte de um ser senciente. Impermanência sutil é a desintegração de uma coisa funcional que ocorre momento a momento. Consultar Coração de sabedoria.

Impermanência sutil Ver impermanência.

Imputação, mera De acordo com a escola de filosofia budista superior, a madhyamika-prassangika, todos os fenômenos são meramente imputados pela concepção na dependência das suas bases de imputação. Portanto, os fenômenos são meras imputações e não existem do seu próprio lado. Consultar Coração de sabedoria.

Indra (deva, em sânscrito) Um dos deuses mundanos.

Iniciação Um poder potencial para obter qualquer dos quatro corpos de Buda, recebido pelo praticante do seu Guru ou de outros seres sagrados, num ritual tântrico. É a porta de entrada para o caminho vajrayana. Consultar Guia à Terra Dakini, Clara luz de êxtase e Grande tesouro de mérito.

Intenção Fator mental cuja função é mover sua mente primária para o objeto. Serve para envolver a mente com objetos virtuosos, não-virtuosos ou neutros. Todas as ações corporais e verbais são iniciadas pelo fator mental intenção. Consultar Entender a mente.

Intenção superior Determinação de tomar para si a responsabilidade de libertar os outros seres do sofrimento e conduzi-los à felicidade perfeita. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Inveja Fator mental deludido que sente desgosto ao observar os prazeres, as boas qualidades ou a boa sorte dos outros. Consultar Entender a mente.

Ioga Termo usado para várias práticas espirituais que requerem uma visão especial, como por exemplo, o Guru ioga e os iogas de comer, dormir, despertar e experimentar néctar. Ioga significa também uma união, como a união do tranqüilo-permanecer e da visão superior. Consultar Guia à Terra Dakini.

Iogue / ioguine Palavras sânscritas usadas para designar um meditador ou uma meditadora que alcançaram a união do tranqüilo-permanecer e da visão superior.

Irmãos e irmãs vajra Praticantes que receberam a iniciação do tantra ioga superior de um mesmo mestre tântrico, seja numa mesma cerimônia ou em diferentes ocasiões.

Ishvara Um deus da Terra Controladora de Emanações, o estado mais elevado de existência do reino do desejo. Ishvara possui poderes miraculosos que, embora limitados e contaminados, fazem dele o ser mais poderoso do reino do desejo. Quem confia em Ishvara pode receber alguns benefícios temporários, como riquezas e bens; mas o Ishvara irado é um inimigo daqueles que buscam a libertação e atrapalha seu progresso espiritual. Assim, ele considerado um tipo de demônio Devaputra. Ver demônio.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Je Phabongkhapa (1878-1941) Grande lama tibetano, uma emanação de Heruka. Foi o detentor de muitas linhagens do sutra e do mantra secreto.

Je Tsongkhapa (1357-1419) Emanação de Manjushri, o Buda da Sabedoria, cujo aparecimento no Tibete do século XIV, como um monge e detentor da linhagem da visão e dos feitos puros, foi profetizado por Buda. Difundiu o puro budadarma por todo o Tibete, mostrando como combinar as práticas de sutra e tantra e como praticar o puro Darma em tempos degenerados. Posteriormente sua tradição ficou conhecida como Gelug ou Ganden. Consultar Jóia coração e Grande tesouro de mérito.

Jóia-dos-desejos Jóia legendária que, como a lâmpada de Aladim, satisfaz todos os desejos.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Kadampa Termo tibetano, no qual ka significa palavra e se refere a todos os ensinamentos de Buda, dam refere-se às instruções especiais de Atisha, conhecidas como etapas do caminho à iluminação, e pa refere-se a um seguidor do budismo kadampa que incorpora todos os ensinamentos de Buda que conhece à sua prática do Lamrim.

Kalarupa Um Protetor do Darma que é uma emanação de Manjushri.

Kangyur Coleção de todos os sutras e tantras traduzidos do sânscrito para o tibetano. Ver Tangyur.

Keajra Termo sânscrito para Terra Dakini, a terra pura de Buda Vajrayogini. Consultar Guia à Terra Dakini e Essência do Vajrayana.

Khädrubje (1385-1438) Um dos principais discípulos de Je Tsongkhapa, que muito fez para promover a tradição de Je Tsongkhapa depois que este morreu. Consultar Grande tesouro de mérito.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Lama Ver Guia Espiritual.

Lama Losang Tubwang Dorjechang Manifestação especial de Je Tsongkhapa, revelada diretamente ao grande iogue Dharmavajra. Nela, Je Tsongkhapa aparece como um monge plenamente ordenado, que usa o chapéu amarelo de abas longas dos Pandita. No seu coração está Buda Shakyamuni e no coração deste, o Conquistador Vajradhara. Na prática Oferenda ao Guia Espiritual, visualizamos nosso Guia Espiritual sob esse aspecto. “Lama” indica que ele é nosso Guia Espiritual; “Losang”, que é Je Tsongkhapa (cujo nome de ordenação era Losang Dragpa); “Tubwang”, que é Buda Shakyamuni; e “Dorjechang”, que é o Conquistador Vajradhara. Consultar Grande tesouro de mérito.

Lamrim Termo tibetano que significa literalmente “etapas do caminho”. Trata-se de uma apresentação especial de todos os ensinamentos de Buda, que é fácil de ser compreendida e praticada. Revela todas as etapas do caminho à iluminação. Consultar Caminho alegre da boa fortuna e Novo manual de meditação.

Langri Tangpa, Geshe (1054-1123) Eminente mestre da tradição Kadampa, famoso por sua realização da prática de trocar eu por outros. Autor de Os oito versos do treino da mente. Consultar Oito passos para a felicidade.

Letra-semente Letra sagrada com base na qual uma deidade é gerada. Cada deidade possui uma letra-semente particular. Exemplos: a de Manjushri é DHI, de Tara é TAM, de Vajrayogini é BAM e de Heruka é HUM.

Libertação (Nirvana, em sânscrito) Liberdade completa do samsara e de suas causas, as delusões. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Linhagem Linha de instruções, passada de Guia Espiritual a discípulo, em que cada guru da corrente obteve uma experiência pessoal das instruções antes de transmiti-las aos outros.

Linhagem búdica Mente raiz de um ser senciente e sua natureza última. Linhagem búdica, natureza búdica e semente búdica são sinônimos. Todos os seres sencientes possuem uma linhagem búdica; portanto, todos têm o potencial para alcançar a budeidade.

Linhagem de Buda Ver natureza de búdica.

Lochana Buda feminino, manifestação do elemento terra de todos os Budas. Consorte de Buda Vairochana.

Lojong Ver Treino da mente.

Lorig Palavra tibetana que significa tipos de mente.

Losang Dragpa (Sumati Kirti, em sânscrito) Nome de ordenação de Je Tsongkhapa.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Madhyamika Termo sânscrito que significa “caminho do meio”. A principal das duas escolas da doutrina mahayana. Essa visão foi ensinada por Buda nos sutras Perfeição de sabedoria, durante a segunda girada da Roda do Darma, e elucidada posteriormente por Nagarjuna e seus seguidores. Subdivide-se em duas escolas: a madhyamika-svatantrika e a madhyamika-prassangika. A segunda apresenta a visão final de Buda. Consultar Contemplações significativas e Oceano de néctar.

Mahakala Um Protetor do Darma que aparece sob diferentes aspectos – com quatro ou seis braços, quatro faces etc.

Mahakaruna O Grande Compassivo, Avalokiteshvara

Mahamudra Termo sânscrito que significa literalmente “grande selo”. Segundo o sutra, refere-se à visão profunda da vacuidade. Uma vez que a vacuidade é a natureza de todos os fenômenos, ela é chamada de um “selo”, e, visto que uma realização direta da vacuidade nos capacita a conquistar o grande propósito – a libertação completa dos sofrimentos do samsara -, ela também é chamada de “grande”. De acordo com o tantra, o grande selo é a união de grande êxtase espontâneo e vacuidade. Consultar Grande tesouro de mérito e Clara luz de êxtase.

Mahassida Termo sânscrito que significa “altamente realizado”. Usado para qualificar iogues e ioguines que possuem elevadas aquisições.

Mahayana Termo sânscrito para grande veículo, o caminho espiritual à grande iluminação. A meta mahayana é alcançar a budeidade para o benefício de todos os seres vivos, abandonando por completo as delusões e suas marcas. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Maitreya Corporificação da bondade amorosa de todos os Budas. Na época de Buda Shakyamuni, manifestou-se como um discípulo Bodissatva. No futuro, irá se manifestar como o quinto Buda universal.

Mala Rosário usado para contar recitações de preces ou mantras.

Maleabilidade Há dois tipos de maleabilidade: a mental e a física. A primeira é uma flexibilidade da mente induzida por concentração virtuosa. A segunda é um objeto tátil, flexível e leve dentro do corpo, que se desenvolve quando, por meio da meditação, um vento puro permeia o corpo.

Mamaki Um Buda feminino, manifestação do elemento água de todos os Budas. Consorte de Buda Ratnassambhava.

Manjushri Corporificação da sabedoria de todos os Budas. Na época de Buda Shakyamuni, manifestou-se como um discípulo Bodissatva. Consultar Grande tesouro de mérito e Jóia coração.

Mantra Termo sânscrito que significa literalmente “proteção da mente”. O mantra protege a mente contra as aparências e concepções comuns. Existem quatro tipos de mantra: mantras que são mentes, mantras que são ventos interiores, mantras que são sons e mantras que são formas. Em geral, existem três tipos de recitação de mantra: verbal, mental e vajra. Consultar Solos e caminhos tântricos.

Mantra secreto Sinônimo de tantra. Os ensinamentos do mantra secreto diferem dos ensinamentos do sutra por revelarem métodos de treinar a mente com o objetivo de trazer o resultado futuro – a budeidade – para o caminho atual. O mantra secreto é o caminho supremo à iluminação. O termo “mantra” indica que se trata de uma instrução especial de Buda para proteger nossa mente das aparências e concepções comuns. Os praticantes do mantra secreto superam as aparências e concepções comuns visualizando seu corpo, ambiente, prazeres e atividades como os de um Buda. O termo “secreto” indica que as práticas devem ser feitas reservadamente e apenas pelos que receberam uma iniciação tântrica. Consultar Solos e caminhos tântricos.

Mara/demônio Mara é o termo sânscrito para demônio e se refere a tudo que obstrui a aquisição da libertação ou da iluminação. Há quatro tipos principais: mara delusões, mara agregados contaminados, mara morte descontrolada e maras Devaputra. Destes, só os últimos são seres sencientes. Consultar Coração de sabedoria.

Marcas Existem dois tipos de marca mental: marcas de ações e marcas de delusões. Toda ação deixa uma marca em nossa consciência mental e essas marcas são potenciais cármicos para experienciarmos certos efeitos no futuro. As marcas das delusões permanecem mesmo depois de as delusões terem sido abandonadas, assim como o cheiro de alho permanece num recipiente mesmo depois de o alho ter sido removido. As marcas das delusões são obstruções à onisciência e só são completamente abandonadas pelos Budas. Consultar “”:/pt/books/Caminho alegre da boa fortuna.

Meditação É uma mente que se concentra num objeto virtuoso. É também uma ação mental que é causa principal de paz mental. Existem dois tipos de meditação: analítica e posicionada. Quando usamos nossa imaginação, contínua-lembrança e raciocínio para encontrar nosso objeto de meditação, estamos praticando a meditação analítica. Quando encontramos o objeto e o retemos unifocadamente, estamos praticando a meditação posicionada. Existem diferentes tipos de objeto. Alguns, como impermanência ou vacuidade, são objetos apreendidos pela mente. Outros, como amor, compaixão e renúncia, são estados mentais. Fazemos a meditação analítica até que o objeto específico que estamos procurando apareça com clareza à nossa mente ou até que um determinado estado mental seja gerado. Esse objeto ou estado mental será nosso objeto da meditação posicionada. Consultar Novo manual de meditação.

Meditação analítica Processo mental de investigar um objeto virtuoso – analisando sua natureza, função, características e outros aspectos. Consultar Novo manual de meditação e Introdução ao budismo.

Meditação posicionada Concentração unifocalizada num objeto virtuoso. Consultar Novo manual de meditação e Introdução ao budismo.

Mente Aquilo que é clareza e que conhece. A mente é clareza porque sempre carece de forma e tem o poder de perceber objetos. A mente conhece porque sua função é conhecer ou perceber os objetos. Consultar Entender a mente.

Mente conceitual Pensamento que apreende seu objeto por meio de uma imagem genérica, ou imagem mental. Consultar Entender a mente.

Mente muito sutil Existem diferentes níveis de mente: densa, sutil e muito sutil. As mentes sutis se manifestam quando os ventos interiores se reúnem e dissolvem dentro do canal central. Consultar Clara luz de êxtase.

Mente não-conceitual Conhecedor para o qual seu objeto aparece claramente, sem se misturar com uma imagem genérica. Consultar Entender a mente.

Mente primária Conhecedor que apreende principalmente a mera entidade de um objeto. Sinônimo de consciência. Existem seis mentes primárias: consciência visual, consciência auditiva, consciência olfativa, consciência gustativa, consciência tátil e consciência mental. Cada instante da mente contém em si uma mente primária e vários fatores mentais. Uma mente primária e seus fatores mentais acompanhantes são uma mesma entidade, mas exercem diferentes funções. Consultar Entender a mente.

Mente raiz Mente muito sutil localizada no centro do chakra do coração. É conhecida como mente raiz porque todas as outras mentes surgem dela, e nela se dissolvem de volta.

Mera aparência Todos os fenômenos são meras aparências porque são imputados pela mente em decorrência de uma base de imputação adequada aparecer a essa mente. A palavra “mera” exclui a qualquer possibilidade de existência inerente. Consultar Oceano de néctar.

Mérito Boa sorte criada por ações virtuosas. É o poder potencial para aumentar nossas boas qualidades e produzir felicidade.

Mestre vajra Guia Espiritual tântrico plenamente qualificado. Consultar Grande tesouro de mérito

Método Caminho espiritual que serve para amadurecer nossa linhagem búdica. Treinar em renúncia, compaixão e bodichita são exemplos de práticas do método.

Milarepa (1040-1123) Grande meditador budista tibetano, discípulo de Marpa, louvado por suas belas canções de realização.

Nalanda Monastério Nalanda Grande centro de ensino e prática budista da antiga Índia.

Meru De acordo com a cosmologia budista, montanha divina situada no centro do universo.

Mudra-ação Consorte do tantra ioga superior que auxilia o desenvolvimento de grande êxtase.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Naga Um ser não-humano que, em geral, é invisível para os humanos. Costumam viver nos oceanos do mundo, mas em alguns casos habitam terra firme, regiões rochosas ou árvores. São muito poderosos e alguns podem ser benevolentes, outros, malevolentes.

Nagarjuna Grande erudito indiano e mestre de meditação budista, que revigorou o mahayana no século I ao expor os sutras Perfeição de Sabedoria. Consultar Oceano de néctar.

Não existente Algo que não é estabelecido por uma mente válida. Exemplos tradicionais são: um chifre na cabeça de um coelho e o filho de uma mulher estéril. Um chifre na cabeça de um coelho, por exemplo, não é estabelecido por uma mente válida e, por conseguinte, não pode ser uma verdade convencional. Consultar Coração de sabedoria.

Não-virtude Fenômeno que funciona como causa principal de sofrimento. Não-virtude pode se referir a mentes, ações ou marcas não-virtuosas ou à não-virtude última do samsara. Consultar Entender a mente.

Naropa (1016-1100) Mahassidha budista indiano. Consultar Guia à Terra Dakini.

Natureza búdica Mente raiz de um ser senciente e sua natureza última. Natureza, semente e linhagem de Buda são sinônimos. Todos os seres sencientes possuem a natureza búdica e, portanto, o potencial para alcançarem a budeidade.

Natureza convencional Ver natureza última.

Natureza convencional e última Todos os fenômenos possuem duas naturezas: uma natureza convencional e uma última. Por exemplo, a natureza convencional de uma mesa é a própria mesa, seu formato, sua cor, sua altura etc. A ausência de existência inerente da mesa é a sua natureza última. A natureza convencional de um fenômeno é uma verdade convencional e sua natureza última, uma verdade última. Consultar Coração de sabedoria e Oceano de néctar.

Nirvana Ver libertação.

Nova Tradição Kadampa (NTK) A associação internacional dos centros de estudo e meditação, que segue a pura tradição do budismo mahayana, derivada dos meditadores e eruditos budistas Atisha e Je Tsongkhapa, e introduzida no ocidente pelo mestre budista venerável Geshe Kelsang Gyatso.

Nove permanências mentais Nove níveis de concentração que levam ao tranqüilo-permanecer. São elas: posicionamento da mente, contínuo-posicionamento, reposicionamento, estreito-posicionamento, controle, pacificação, pacificação completa, unifocalização, posicionamento em equilíbrio. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Objeto de negação Um objeto que é explicitamente negado por uma mente que realiza um fenômeno negativo. Na meditação sobre a vacuidade, ou ausência de existência inerente, o objeto de negação refere-se à existência inerente. Também conhecido como “objeto negado”.

Objeto observado Qualquer objeto que esteja sendo focado pela mente.

Obstruções à libertação que impedem a conquista da libertação. Todas as delusões, como ignorância, apego e raiva, juntamente com suas sementes, são obstruções à libertação. Também chamadas de “obstruções-delusões”.

Obstruções à onisciência Marcas das delusões que impedem uma realização simultânea e direta de todos fenômenos. Só os Budas superaram essas obstruções. Também conhecidas como “obstruções ao conhecimento”.

Oferenda ao Guia Espiritual (Lama Chöpa, em tibetano) Guru ioga especial de Je Tsongkhapa, no qual visualizamos nosso Guia Espiritual como Lama Losang Tubwang Dorjechang. As instruções dessa prática foram reveladas por Buda Manjushri na Escritura kadam emanada e, posteriormente, escritas pelo I Panchen Lama. É uma prática preliminar essencial para o mahamudra vajrayana. Consultar Grande tesouro de mérito.

Oferenda de torma Uma oferenda especial de comida, feita de acordo com rituais do sutra ou do tantra.

Oferenda do mandala Oferecimento de todo o universo visualizado como uma terra pura e de todos os seus habitantes, como seres puros. Consultar Grande tesouro de mérito e Guia à Terra Dakini.

Oferenda-tsog Oferenda feita por uma assembléia de Heróis e Heroínas. Consultar Guia à Terra Dakini.

Oito Grandes Filhos Os oito principais discípulos mahayana de Buda Shakyamuni: Avalokiteshvara, Manjushri, Vajrapani, Maitreya, Samantabhadra, Ksitigarbha, Sarvanivaranavishambini e Akashagarbha. Na época de Buda, eles apareceram sob o aspecto de Bodissatvas, demonstrando o modo correto de praticar os caminhos mahayana e ajudando a expandir amplamente os ensinamentos de Buda para o benefício de todos.

Oito interesses mundanos Os objetos dos oito interesses mundanos são felicidade e sofrimento, riqueza e pobreza, elogio e crítica, boa e má reputação. São denominados mundanos, porque as pessoas mundanas estão constantemente preocupadas com eles, desejando uns e tentando evitar outros. Consultar Compaixão universal e Caminho alegre da boa fortuna.

Orgulho Fator mental deludido que, ao levar em consideração e exagerar nossas próprias boas qualidades ou posses, nos torna arrogantes. Consultar Entender a mente.

Orgulho divino Um orgulho não-deludido que se considera como uma deidade e seu ambiente e prazeres como aqueles da deidade. É o antídoto às concepções comuns. Consultar Guia à Terra Dakini.

Os oito versos do treino da mente Escrito pelo Bodissatva Langri Tangpa no século XI, esse texto revela a essência do caminho à iluminação do budismo mahayana. Para um comentário completo, consultar Oito passos para a felicidade .

Ouvinte Um dos dois tipos de praticante hinayana. Ouvintes e Realizadores Solitários são ambos hinayanistas, mas diferem em motivação, comportamento, mérito e sabedoria. Os Realizadores Solitários são superiores aos Ouvintes em todos esses aspectos. Consultar Oceano de néctar.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Paciência Uma determinação virtuosa de suportar males, sofrimentos ou o Darma profundo. Consultar Como solucionar nossos problemas humanos

Paz solitária O nirvana hinayana.

Percebedor direto Um conhecedor que apreende seu objeto manifesto. Consultar Entender a mente.

Percepção Há seis percepções, cinco sensoriais e uma mental, e todas as mentes estão incluídas nelas. Existem cinco tipos de percepção sensorial: visual, auditiva, olfativa, gustativa e tátil, e dois tipos de percepção mental: conceitual e não-conceitual. Consultar Entender a mente.

Percepção errônea Um conhecedor que está equivocado a respeito do seu objeto conectado. Consultar Entender a mente.

Percepção mental Aquela que se desenvolve na dependência da sua condição dominante incomum, um poder mental. Consultar Entender a mente.

Percepção sensorial Aquela que se desenvolve na dependência da sua condição dominante incomum, uma faculdade sensorial que possui forma. Consultar Entender a mente.

Perfeição de Sabedoria Sutras da segunda girada da Roda do Darma, em que Buda revelou sua visão final sobre a natureza última dos fenômenos: a vacuidade de existência inerente. Consultar Coração de sabedoria.

Pessoa Um eu imputado na dependência de qualquer um dos cinco agregados. Consultar Coração de sabedoria e Entender a mente.

Poderes milagrosos Ver Clarividência.

Postura vajra Postura perfeita de meditação, na qual as pernas ficam cruzadas na postura vajra completa, o pé esquerdo sobre a coxa direita e o pé direito sobre a coxa esquerda, ambos com as solas para cima. A mão direita repousa sobre a mão esquerda, as palmas voltadas para o alto, e os dois polegares levantados tocam-se na altura do umbigo. As costas permanecem eretas, e os ombros, emparelhados. A boca fica suavemente fechada, a cabeça, um pouco inclinada para frente, e os olhos, nem muito abertos nem fechados demais. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Prassangika Ver madhyamika.

Prática do método Qualquer caminho espiritual que sirva para amadurecer nossa linhagem búdica. Treinar em renúncia, compaixão e bodichita são exemplos de práticas do método.

Práticas preparatórias Práticas que nos preparam para uma meditação bem sucedida, tais como purificar a mente, acumular mérito e receber bênçãos. Consultar Caminho alegre da boa fortuna e Novo manual de meditação.

Pratimoksha Termo sânscrito que significa “libertação individual”. Voto pratimoksha é um voto motivado, principalmente, pelo desejo de alcançar a libertação pessoal. Existem oito tipos de votos. Consultar O voto do Bodissatva.

Preceptor Guia Espiritual que nos concede os votos e compromissos que devemos observar.

Preciosa vida humana Uma vida que tem oito liberdades e dez dotes especiais, o que a torna a oportunidade ideal para treinar a mente em todas as etapas do caminho à iluminação. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Proponentes de coisas As escolas vaibhashika, sautrantika e chittamatra são conhecidas como proponentes de coisas, porque asseveram que os fenômenos são verdadeiramente existentes. Consultar Oceano de néctar.

Prostração Ato de respeito feito com o corpo, a fala ou a mente. Consultar Caminho alegre da boa fortuna e O voto do Bodissatva.

Protetores do Darma Manifestações de Budas ou Bodissatvas cuja função principal é eliminar obstáculos e propiciar as boas condições aos puros praticantes de Darma. Também denominado Darmapala. Consultar Jóia coração.

Puja Cerimônia na qual são feitas oferendas e outros atos de devoção aos seres sagrados.

Purificação Em geral, qualquer prática que conduza à aquisição de um corpo, fala e mente puros. Mais especificamente, uma prática para purificar carma negativo por meio dos quatro poderes oponentes. Consultar Caminho alegre da boa fortuna. e O voto do Bodissatva.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Quatro destemores Qualidades especiais de um Buda. Um destemor é uma realização última completamente firme, que é inteiramente livre do medo de expor o Darma. Existem quatro tipos: 1) destemor ao revelar o Darma da libertação permanente; 2) destemor ao revelar o Darma de superar obstruções; 3) destemor ao revelar o Darma dos excelentes abandonos; 4) destemor ao revelar o Darma das excelentes realizações. Consultar Oceano de néctar.

Quatro Mães Lochana, Mamaki, Benzarahi e Tara. As respectivas consortes de Vairochana, Ratnassambhava, Amitabha e Amoghassiddhi.

Quatro maneiras de reunir discípulos As quatro maneiras de reunir discípulos praticadas pelos Bodissatvas são: agradar os outros dando-lhes coisas materiais ou aquilo que precisam; ensinar o Darma para conduzir os outros à libertação; ajudar os outros na prática do Darma encorajando-os; e dar bom exemplo praticando sempre o que é ensinado.

Quatro maras Ver demônios.

Quatro nobres verdades Verdadeiros sofrimentos, verdadeiras origens, verdadeiras cessações e verdadeiros caminhos. Elas são denominadas “nobres” porque são objetos supremos de meditação. Meditando sobre elas podemos realizar diretamente a verdade última e nos tornar um Ser Superior, ou nobre. Consultar Caminho Alegre da boa fortuna e Como solucionar nossos problemas humanos.

Quatro poderes oponentes Elementos essenciais para o sucesso de uma prática de purificação: o poder da confiança, o poder do arrependimento, o poder da força oponente e o poder da promessa. Consultar O voto do Bodissatva.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Raiva Fator mental deludido que observa um objeto contaminado, exagera suas más qualidades, considera-o indesejável e quer prejudicá-lo. Consultar Entender a mente.

Ratnassambhava Manifestação do agregado sensação de todos os Budas. Seu corpo é amarelo.

Realização Experiência estável e não-enganosa de um objeto virtuoso, que nos protege diretamente contra o sofrimento.

Realizador solitário Um dos dois tipos de praticante hinayana. Ouvintes e Realizadores Solitários são ambos Hinayanistas, mas diferem em motivação, comportamento, mérito e sabedoria. Os Realizadores Solitários são superiores aos Ouvintes em todos esses aspectos. Consultar Oceano de néctar.

Refúgio Proteção efetiva. Buscar refúgio em Buda, Darma e Sanga significa ter fé nessas Três Jóias e confiar nelas para nos proteger contra todos os medos e sofrimentos. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Rei chakravatin Um ser extremamente afortunado que acumulou vasta quantidade de mérito e, como resultado, renasceu como um rei cujo domínio se estende pelos quatro continentes ou, pelo menos, por um deles, conforme descrito na cosmologia budista. Atualmente não há reis chakravatin em nosso mundo e ninguém tem domínio completo sobre o nosso continente, Jambudipa. Consultar Grande tesouro de mérito.

Reino da forma O ambiente dos deuses que possuem forma.

Reino da sem-forma O ambiente dos deuses que não possuem forma.

Reino do desejo O ambiente dos seres-inferno, espíritos famintos, animais, humanos, semideuses e dos deuses que desfrutam dos cinco objetos de desejo.

Reino do inferno O mais baixo dos seis reinos do samsara. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Reinos inferiores O reino do inferno, o reino dos espíritos famintos e o reino animal. Ver samsara.

Renúncia Desejo de se libertar do samsara. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Retiro aproximador Retiro durante o qual tentamos nos aproximar de uma determinada deidade. Consultar Guia à Terra Dakini.

Retiro Período de tempo durante o qual estabelecemos várias restrições às nossas ações de corpo, fala e mente a fim de poder nos concentrar de modo mais profundo numa determinada prática espiritual. Consultar Jóia coração.

Roda da Vida Um diagrama que retrata os doze elos dependente-relacionados e as quatro nobres verdades. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Roda do Darma Uma coleção de ensinamentos de Buda. Às vezes, refere-se ao chakra do coração porque este é o lugar onde visualizamos o Dharmakaya, que é a fonte da Roda do Darma. Consultar Oceano de néctar.

Roda-canal Ver chakra.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Sabedoria Uma mente virtuosa e inteligente, graças à qual a mente primária realiza por completo seu objeto. Uma sabedoria é um caminho espiritual, cuja função é livrar nossa mente das delusões e de suas marcas. Exemplo de sabedoria é a visão correta da vacuidade.

Sadana Ritual que é um método para alcançar realizações espirituais. Pode estar associada ao sutra ou ao tantra.

Samantabhadra Nome sânscrito para “O Todo Generoso”, um Bodissatva famoso por suas extensas oferendas. Consultar Grande tesouro de mérito.

Samkhya Escola não-budista, a mais antiga das escolas bramânicas. Consultar Oceano de néctar.

Samsara Pode ser compreendido de duas maneiras: como o renascimento ininterrupto sem liberdade ou controle ou como os agregados de um ser que está submetido a esse tipo de renascimento. O samsara caracteriza-se por sofrimento e insatisfação. Existem seis reinos samsáricos, aqui listados em ordem ascendente, de acordo com o carma que faz nascer neles: reinos dos seres-inferno, espíritos famintos, animais, humanos, semideuses e deuses. Os três primeiros são reinos inferiores ou migrações infelizes; os outros três são reinos superiores ou migrações felizes. Do ponto de vista do carma que causa o renascimento nele, o reino dos deuses é considerado o mais elevado. Todavia, o reino humano é o mais afortunado, porque é o estado que oferece as melhores condições para a libertação e a iluminação. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Sanga Segundo a tradição vinaya, qualquer comunidade de quatro ou mais monges ou monjas plenamente ordenados. Em geral, pessoas ordenadas ou leigas que tomaram os votos bodissatva ou tântricos também podem ser consideradas Sanga.

Seis faculdades As cinco faculdades sensoriais e a faculdade mental. Faculdade sensorial é um poder interior, que reside no exato centro de um órgão sensorial e cuja função é gerar diretamente uma percepção sensorial. Existem cinco faculdades sensoriais, uma para cada tipo de percepção sensorial. Faculdade mental é uma mentalidade que atua, principalmente, para produzir de modo direto o aspecto particular de uma percepção mental. Consultar Entender a mente.

Seis perfeições As perfeições de dar, disciplina moral, paciência, esforço, estabilização mental e sabedoria. Denominam-se perfeições porque são motivadas pela bodichita. Consultar Caminho alegre da boa fortuna. e Contemplações significativas.

Self Ver Pessoa.

Semente búdica Mente raiz de um ser senciente e sua natureza última. Semente búdica, natureza búdica e linhagem búdica são sinônimos. Todos os seres sencientes possuem a semente búdica e, portanto, têm o potencial para atingir a budeidade.

Semente de delusão A semente de uma delusão é o potencial para que esta delusão surja; é sua causa substancial. Até que tenhamos abandonado uma delusão, sua semente permanecerá em nossa mente, mesmo quando a delusão em si não está manifesta. Sementes de delusões só podem ser erradicadas pela sabedoria que realiza a vacuidade diretamente. Consultar Entender a mente.

Semideus Seres que vivem no reino dos semideuses. Assemelham-se aos deuses, mas seus corpos, posses e ambientes são inferiores. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Senhor da Morte Embora o Mara da morte descontrolada não seja um ser senciente, é personificado como o Senhor da Morte, ou Yama. No diagrama da Roda da Vida, aparece segurando a roda entre suas garras e dentes.

Sensação Fator mental cuja função é experienciar objetos agradáveis, desagradáveis ou neutros. Consultar Entender a mente.

Senso de vergonha Fator mental cuja função é evitar ações impróprias por motivos que dizem respeito a nós mesmos. Consultar Entender a mente.

Ser comum Alguém que não realizou a vacuidade diretamente.

Ser de compromisso Um Buda visualizado ou o próprio praticante visualizado como um Buda. Assim chamado porque os budistas têm o compromisso de visualizar Buda ou lembrar dele. Quem recebeu uma iniciação do tantra ioga superior também tem o compromisso de se autogerar como uma deidade.

Ser de concentração Símbolo do corpo-verdade de Buda visualizado como uma letra-semente no coração do ser de compromisso ou do ser de sabedoria. Recebe esse nome porque é gerado por meio de concentração.

Ser de sabedoria Um Buda de fato, especialmente aquele que é convidado a se unir com um ser de compromisso visualizado.

Ser sagrado Um ser digno de devoção.

Ser senciente Ver ser vivo.

Ser Superior (Arya, em sânscrito) Aquele que possui uma realização direta da vacuidade. Existem seres superiores hinayana ou mahayana.

Ser vivo (sem chän, em tibetano) Sinônimo de ser senciente. Qualquer ser cuja mente esteja contaminada pelas delusões ou suas marcas. Os termos ser vivo e ser senciente são usados para estabelecer uma distinção entre os seres, cujas mentes estão contaminadas por uma das duas obstruções, e os Budas, cujas mentes estão totalmente livres dessas obstruções.

Sete causas e um efeito Um método para gerar a bodichita, no qual o amor afetuoso é cultivado inicialmente reconhecendo que todos os seres sencientes são nossas mães e lembrando sua bondade. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Shantideva (687-763) Importante erudito indiano e mestre de meditação budista. Compôs Guia do estilo de vida do Bodissatva. Consultar Guia do estilo de vida do Bodissatva e Contemplações significativas.

Shariputra Um dos principais discípulos de Buda Shakyamuni.

Sinais de dissolução Sinais internos de que os ventos interiores estão se dissolvendo no canal central. Consultar Clara luz de êxtase.

Sindhura Pó vermelho proveniente de qualquer um dos 24 lugares auspiciosos de Heruka.

Sofrimento de mudança Para os seres do samsara, qualquer experiência de felicidade ou prazer que surge dos prazeres samsáricos é um sofrimento de mudança, porque essas experiências são contaminadas e possuem a natureza do sofrimento. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Solo espiritual Uma clara realização que atua como a base para muitas boas qualidades. Uma clara realização é uma realização mantida por renúncia ou bodichita espontâneas. Os dez solos são as realizações dos Bodissatvas Superiores. São eles: Muito Alegre, Imaculado, Luminoso, Radiante, Difícil de Ser Vencido, Aproximador, Muito Adiantado, Inamovível, Boa Inteligência e Nuvem de Darma. Ver caminho. Consultar Solos e caminhos tântricos e Oceano de néctar.

Sugata Outro termo para Buda. Indica que os Budas alcançaram um estado de êxtase imaculado e indestrutível.

Sukhavati Termo sânscrito para “Terra Pura de Êxtase” – a terra pura de Buda Amitabha.

Sutra Coração Um dos muitos sutras Perfeição de Sabedoria ensinados por Buda. Embora mais conciso que os outros, contém explícita ou implicitamente seu significado completo. Também conhecido como Essência do Sutra Coração. Para um comentário completo, consultar Coração de sabedoria.

Sutra Ensinamentos de Buda que podem ser praticados por qualquer pessoa, sem que seja necessário receber uma iniciação. Abrange os ensinamentos dados nas três giradas da Roda do Darma.

Sutras vinaya Sutras em que Buda explica a prática de disciplina moral e, em particular, a disciplina pratimoksha.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Tängyur Coleção de comentários aos ensinamentos de Buda traduzidos do sânscrito para o tibetano. Inclui as três giradas da Roda do Darma.

Tanka Pintura tradicional de um Buda.

Tantra Sinônimo de mantra secreto. Os ensinamentos tântricos diferem dos ensinamentos do sutra por revelarem métodos para treinar a mente com o objetivo de trazer o resultado futuro “a budeidade” para o caminho atual. Os praticantes tântricos superam as aparências e concepções comuns visualizando seu corpo, ambiente, prazeres e atividades como os de um Buda. O tantra é o caminho supremo à iluminação. As práticas tântricas devem ser feitas reservadamente e apenas por aqueles que receberam uma iniciação tântrica. Sinônimo de mantra secreto. Consultar Solos e caminhos tântricos.

Tantra ioga superior Uma instrução tântrica que contém o método para transformar êxtase sexual em caminho rápido à iluminação. Consultar Solos e caminhos tântricos.

Tara Buda feminino, manifestação da sabedoria última de todos os Budas. Tara significa “Libertadora”. Por ser um Buda de sabedoria e uma manifestação do elemento vento completamente purificado, ela é capaz de nos ajudar muito rapidamente.

Tatagata Termo sânscrito para “um ser que passou além”. Refere-se a Buda.

Tempos degenerados Período no qual as atividades espirituais se degeneram.

Tempos sem início De acordo com a visão de mundo budista, não há um começo para a mente e, por isso, não há um começo para o tempo. Logo, todos os seres sencientes já tiveram incontáveis renascimentos anteriores.

Terra Dakini A terra pura de Buda Vajrayogini. Em sânscrito, denomina-se Keajra e em tibetano, Dagpa Khachö. Consultar Guia à Terra Dakini.

Terra dos 33 Paraísos Uma das seis moradas dos deuses do reino do desejo. São elas, em seqüência: Terra dos Quatro Grandes Reis, Terra dos 33 Paraísos, Terra sem Combate, Terra Alegre, Terra das Emanações de Prazer e Terra Controladora de Emanações.

Terra pura Ambiente puro em que não existem os verdadeiros sofrimentos. Há muitas terras puras. Exemplos: Tushita, de Buda Maitreya; Sukhavati, de Buda Amitabha; Terra Dakini, ou Keajra, de Buda Vajrayogini e Buda Heruka. Consultar Viver significativamente e morrer com alegria.

Tradição Kadampa A pura tradição do budismo fundada por Atisha. Seus seguidores, até a época de Je Tsongkhapa, ficaram conhecidos como antigos kadampas; depois, passaram a ser chamados de novos kadampas.

Tranqüilo-permanecer Concentração que possui o êxtase especial da maleabilidade física e mental e que é alcançada quando completamos as nove permanências mentais. Consultar Caminho alegre da boa fortuna e Contemplações significativas.

Transferência de consciência (powa, em tibetano) Prática para transferir a consciência para uma terra pura na hora da morte. Consultar Compaixão universal e Viver e morrer com sabedoria

Treinar a mente em sete pontos Um comentário escrito pelo Geshe Chekhawa ao texto Os oito versos do treino da mente. Para um comentário completo consultar Compaixão universal.

Treino da mente Lojong, em tibetano. Uma linhagem especial de instruções provenientes de Buda Shakyamuni e transmitidas, por meio de Manjushri e Shantideva, a Atisha e aos geshes kadampas. Enfatiza a geração da bodichita por meio das práticas de equalizar e trocar eu por outros, associadas com o tomar e dar.

Três Giradas da Roda do Darma Buda transmitiu seus ensinamentos em três etapas principais, conhecidas como as três giradas da Roda do Darma. Na primeira, ensinou as quatro nobres verdades; na segunda, ensinou os sutras Perfeição de Sabedoria e revelou a visão madhyamika-prassangika; e na terceira, ensinou a visão chittamatra. Esses ensinamentos foram dados de acordo com as inclinações e capacidades dos discípulos. A visão última de Buda foi apresentada na segunda etapa. O Darma é comparado à preciosa roda, uma das seis posses do lendário rei chakravatin. Ela pode transportar o rei por grandes distâncias num curto espaço de tempo e diz-se que por onde quer que ela passe o rei exerce seu domínio. Do mesmo modo, quando Buda revelou o caminho à iluminação, ele disse que havia girado a Roda do Darma, pois sempre que esses ensinamentos são apresentados, as mentes deludidas são controladas.

Três Jóias Os três objetos de refúgio: Buda, Darma e Sanga. São denominados jóias por serem raros e preciosos. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Três mundos O mundo naga abaixo, o mundo humano acima e o mundo dos deuses no alto. Consultar Oceano de néctar.

Três principais aspectos do caminho As realizações de renúncia, bodichita e da sabedoria que realiza a vacuidade. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Três reinos São os três níveis no samsara: o reino do desejo, o reino da forma e o reino da sem-forma. Os seres do reino do desejo têm fortes delusões, os do reino da forma, delusões mais sutis, e os do reino da sem-forma, delusões muito sutis. Ver reino do desejo, reino da forma- forma e reino da sem forma.

Três tempos Passado, presente e futuro.

Três treinos superiores Os treinos em disciplina moral, concentração e sabedoria feitos com a motivação de renúncia ou bodichita.

Trinta e dois sinais maiores Também denominados “marcas maiores”. Características especiais da forma de um Buda. Exemplo: o sinal da roda nas palmas das mãos e nas solas dos pés. As oitenta indicações são chamadas de “marcas menores”. Exemplo: unhas cor de cobre.

Tummo Ver fogo interior.

Tushita A terra pura de Buda Maitreya, conhecida como Ganden, em tibetano, e Terra Alegre, em português. Je Tsongkhapa e Atisha foram para lá depois de morrer. Além disso, Ganden é o nome do monastério fundado por Je Tsongkhapa no Tibete, bem como da doutrina especial que ele estabeleceu. Consultar Grande tesouro de mérito e Jóia coração.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

União do não-mais-aprender União do corpo ilusório puro e da clara luz significativa que abandonou as obstruções à onisciência. Sinônimo de budeidade. Consultar Clara luz de êxtase e Solos e caminhos tântricos.

União que precisa aprender União do corpo ilusório e da clara luz que ainda não abandonou as obstruções à onisciência. Consultar Clara luz de êxtase, Solos e caminhos tântricos e Grande tesouro de mérito.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Vacuidade Ausência de existência inerente, a natureza última dos fenômenos. Consultar Coração de sabedoria e Oceano de néctar.

Vaibhashika Uma das escolas filosóficas hinayana. Não aceitam autoconhecedores e asseveram que os objetos externos são verdadeiramente existentes. Consultar Oceano de néctar.

Vairochana Manifestação do agregado forma de todos os Budas. Seu corpo é branco.

Vajra Em geral, o termo sânscrito vajra significa “indestrutível como um diamante e poderoso como um raio”. No contexto do tantra, pode referir-se à indivisibilidade do método e da sabedoria, à grande sabedoria onisciente ou ao êxtase espontâneo. É também o nome dado a um objeto ritualístico de metal. Consultar Solos e caminhos tântricos.

Vajradhara O fundador do tantra, ou vajrayana. É o mesmo continuum mental que Buda Shakyamuni, mas mostra-se sob um aspecto diferente. Buda Shakyamuni aparece sob o aspecto de um corpo-emanação, e o Conquistador Vajradhara sob o aspecto de um corpo-fruição. Consultar Grande tesouro de mérito.

Vajrapani Corporificação do poder de todos os Budas. Aparece sob um aspecto irado para demonstrar seu poder de superar obstáculos exteriores, interiores e secretos. Na época de Buda Shakyamuni, manifestou-se como um discípulo Bodissatva.

Vajrayana Veículo mantra secreto. Consultar Solos e caminhos tântricos.

Vajrayogini Deidade feminina do tantra ioga superior, a corporificação do êxtase e da vacuidade indivisíveis. Mesma natureza que Heruka. Consultar Guia à Terra Dakini.

Vasubhandu (Abhidharmakosha, em sânscrito) Grande erudito budista do século V, convertido ao mahayana por seu irmão, Assanga. Escreveu Tesouro de abhidarma.

Veículo espiritual Excelsa percepção, que conduz o meditador à sua destinação espiritual final. Ver caminho.

Vento de sustentação vital Vento-energia interior que reside no chakra do coração. Esse vento possui três níveis: denso, sutil e muito sutil. É o vento muito sutil que passa de uma vida para outra sustentando a mente muito sutil. Consultar Clara luz de êxtase.

Ventos interiores Ventos sutis especiais, relacionados à mente, que fluem através dos canais do corpo. O corpo e a mente não podem funcionar sem esses ventos. Consultar Clara luz de êxtase.

Ventos-energia Ver ventos interiores.

Verdade convencional Qualquer fenômeno que não seja a vacuidade. As verdades convencionais são verdades para a mente de um ser do samsara, mas, na realidade, elas são falsas. Consultar Coração de sabedoria, e Contemplações significativas e Oceano de néctar.

Verdade última Natureza última de todos os fenômenos. Sinônimo de vacuidade. Consultar Coração de sabedoria e Transforme sua vida.

Verdadeira cessação Natureza última da mente que foi libertada de todas as obstruções por meio de um verdadeiro caminho. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Verdadeira origem Ação ou delusão que é a causa principal de um verdadeiro sofrimento. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Verdadeiro caminho Caminho espiritual sustentado pela sabedoria que realiza diretamente a vacuidade. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Verdadeiro sofrimento Objeto contaminado, produzido por delusões e carma. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Vigilância Fator mental que é um tipo de sabedoria que examina nossas atividades de corpo, fala e mente e detecta o desenvolvimento de falhas. Consultar Entender a mente.

Vinaya Sutras em que Buda explica a prática de disciplina moral e, em particular, a disciplina pratimoksha.

Vinte e quatro lugares sagrados Lugares especiais deste mundo onde os mandalas de Heruka e Vajrayogini ainda estão presentes. São eles: Puliramalaya, Dzalandhara, Odyana, Arbuta, Godawari, Rameshöri, Dewikoti, Malawa, Kamarupa, Ote, Trishakune, Kosala, Kalinga, Lampaka, Kanchra, Himalaya, Pretapuri, Grihadewata, Shaurashtra, Suwanadvipa, Nagara, Sindhura, Maru e Kuluta.

Virtude Fenômeno que funciona como causa principal de felicidade. Virtude pode se referir a mentes, ações ou marcas virtuosas ou a virtude última do nirvana. Consultar Entender a mente.

Visão da coleção transitória Um tipo de auto-agarramento de pessoas que se agarra ao próprio eu como sendo um eu inerentemente existente. Consultar Caminho alegre da boa fortuna e Oceano de néctar e Entender a mente.

Visão errônea Percepção errônea intelectualmente formada que nega a existência de um objeto cujo conhecimento é necessário para atingirmos a libertação ou a iluminação. Um exemplo de visão errônea é negar a existência de seres iluminados, carma ou renascimento. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Visão extrema Visão deludida que observa o eu que é o objeto concebido da visão da coleção transitória e se apega a ele como se fosse permanente ou como algo que cessa completamente no momento da morte. Consultar Entender a mente.

Visão superior Sabedoria especial que vê seu objeto claramente e é sustentada pelo tranqüilo-permanecer e por uma maleabilidade especial induzida por investigação. Consultar Caminho alegre da boa fortuna.

Votos Promessas de abster-se de certas ações. Os três conjuntos de votos são: os votos pratimoksha de libertação individual, os votos bodissatva e os votos do mantra secreto. Consultar O voto do Bodissatva e Solos e caminhos tântricos.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Yamantaka Deidade do tantra ioga superior, uma manifestação irada de Manjushri.

Yidam Ver deidade.

O espaço de aprendizagem

O espaço de aprendizagem

Como Meditar
Retiro de Meditação
Sugestão para um programa de retiros
Sessão de Meditação
Preparação para Meditar
Postura de Meditação
Convicções Budistas
O que é mente?
Reencarnação
Compaixão
Renúncia
Carma
Sobre Buda
Os Ensinamentos de Buda
A Iluminação de Buda
Ordenação de Buda
Renúncia de Buda
O Nascimento de Buda
Mais
Glossário de termos budistas
Arte budista
Sobre o Tantra
Livros sobre o tantra
Mestres Tântricos
Apego & Tantra
Níveis do Tantra
Tantra autêntico
Sobre o Darma
Publicações sobre o Darma
Centros de Darma
A prática do Darma
A Roda do Darma
Budadarma