Budismo Kadampa

O site oficial da Nova Tradição Kadampa -
União Budista Kadampa Internacional
Fundador: Venerável Geshe Kelsang Gyatso

Grande Tesouro de Mérito

Great Treasury of Merit

A prática de confiar em um Guia Espiritual

Por Geshe Kelsang Gyatso

No processo da tradução ao português

leia um trecho

Em todos os níveis da prática budista, confiar no Guia Espiritual é considerado como fonte de inspiração, compreensão e progresso no caminho espiritual. Contudo, no tantra, essa prática é absolutamente fundamental.

Grande tesouro de mérito é um comentário a uma sublime prática denominada Oferenda ao Guia Espiritual, que é realizada publicamente duas vezes ao mês em todos os centros budistas Kadampa e, em muitos casos, diariamente pelos praticantes.

É a porta suprema de receber bênçãos para todos os praticantes, mas especialmente para aqueles que praticam o mahamudra tântrico.

Ao dar um comentário detalhado a esta prática, Geshe Kelsang explica as etapas essenciais do caminho do sutra e tantra e mostra como podemos aumentar imensamente a eficácia das nossas meditações confiando sinceramente em um qualificado Guia Espiritual.


Todas as escolas de budismo concordam que a prática do guru ioga, ou de confiar em um Guia Espiritual, é a raiz do caminho espiritual e o fundamento de todas as aquisições espirituais. Podemos compreender isso observando nossas experiências comuns. Por exemplo, se quisermos obter habilidades especiais, ser campeão num determinado esporte ou aprender a tocar um instrumento musical muito bem, naturalmente iremos procurar um professor qualificado que nos instrua. Seguindo o exemplo do nosso professor e aplicando suas instruções sinceramente, alcançaremos por fim nossa meta e nos tornaremos iguais a ele. Se confiar num professor qualificado é necessário até para conquistas desse tipo, quão mais necessário não será confiar em um Guia Espiritual qualificado para obter aquisições espirituais como a libertação e a iluminação?

No budismo, há duas correntes principais – o hinayana, ou veículo menor, e o mahayana, ou grande veículo – e a prática de confiar em um Guia Espiritual é fundamental em ambas. De acordo com o hinayana, devemos considerar nosso Guia Espiritual como sendo igual a um Buda e com uma mente de fé e devoção oferecer-lhe presentes e serviços, e retribuir sua bondade seguindo seus conselhos e praticando suas instruções. De acordo com o mahayana, contudo, devemos considerar nosso Guia Espiritual como sendo um Buda de fato e com uma mente de fé confiar sinceramente nele em pensamentos e atos.

O objetivo último de um praticante hinayana é a aquisição da libertação. Isso depende da prática dos três treinos superiores, que, por sua vez, depende de primeiro desenvolver a motivação de renúncia. Todas essas aquisições dependem da bondade de um Guia Espiritual qualificado. Por exemplo, a motivação de renúncia não surge automaticamente em nossa mente, mas deve ser cultivada por meio de métodos especiais. Primeiro, temos de compreender a natureza insatisfatória do samsara e cultivar o desejo de escapar. Isso depende de termos uma clara compreensão a respeito de impermanência, renascimento, carma, refúgio e as quatro nobres verdades. Sem um Guia Espiritual que nos instrua sobre essas práticas e nos encoraje a treiná-las, nunca conseguiremos alcançar essas experiências.

Tendo gerado renúncia, praticaremos os três treinos superiores: treino em disciplina moral superior, treino em concentração superior e treino em sabedoria superior. Para praticar disciplina moral superior, precisamos primeiro receber votos de um Guia Espiritual qualificado, que, então, vai nos ajudar a praticar disciplina moral pura, ensinando-nos o que deve ser praticado e o que deve ser evitado e nos fornecendo um exemplo imaculado a ser seguido.

Com base no treino de disciplina moral superior, praticaremos concentração superior treinando o tranqüilo-permanecer. Isso pressupõe a superação dos cinco obstáculos por meio da aplicação dos oito antídotos. Sem receber instruções de um Guia Espiritual qualificado, não sabemos sequer quais são esses obstáculos e antídotos, muito menos o que fazer com eles. Logo, é só confiando em um Guia Espiritual que nos transmita instruções e orientações com base na sua própria experiência que seremos capazes de passar pelas nove permanências mentais e, por fim, alcançar o tranqüilo-permanecer.

Tendo conquistado o tranqüilo-permanecer, se treinarmos sabedoria superior posicionando nossa mente em concentração unifocalizada na vacuidade, rapidamente alcançaremos a visão superior e com ela conseguiremos por fim erradicar nosso auto-agarramento e alcançar a libertação do samsara. Porém, a vacuidade é um objeto profundo e é impossível obter uma realização da vacuidade sem as instruções e orientações habilidosas de um Guia Espiritual qualificado. Assim, todas as etapas do caminho hinayana à libertação, desde gerar renúncia, abandonar o auto-agarramento e alcançar a libertação só podem ser conquistadas graças à bondade de um Guia Espiritual qualificado.

Assim como confiar em um Guia Espiritual qualificado é essencial para se completar o caminho hinayana, isso também é essencial no caminho mahayana. Todas as etapas do caminho mahayana, desde gerar equanimidade e grande compaixão até a aquisição final da budeidade, são realizadas unicamente graças às orientação e bênçãos de um Guia Espiritual mahayana. Para ingressar no caminho mahayana, precisamos primeiro gerar a motivação de bodichita. Esta motivação, tal como a renúncia, não surge naturalmente, mas precisa ser cultivada por meio de métodos especiais, como as sete causas e um efeito e equalizar e trocar eu por outros. Sem receber instruções e orientações de um Guia Espiritual mahayana, nunca obteríamos essas preciosas realizações. Quando tivermos gerado a bodichita, precisaremos receber os votos bodissatva de um Guia Espiritual mahayana, que, então, dará instruções sobre a prática das seis perfeições e nos guiará nos cinco caminhos mahayana e nos dez solos de um Bodissatva até alcançarmos o caminho mahayana do não-mais-aprender, ou budeidade. Sem a inspiração do puro exemplo do nosso Guia Espiritual, sem as suas instruções inequívocas e bênçãos constantes, nunca completaríamos esse treino.

Se o treino das etapas do caminho do sutra é impossível sem confiar num Guia Espiritual, é totalmente inconcebível ingressar nas práticas tântricas sem confiar em um mestre tântrico. Os ensinamentos tântricos de Buda são muito difíceis de se compreender e estão espalhados em muitas escrituras, sem nenhuma indicação clara da seqüência correta em que devem ser praticados. Se tentarmos praticar o tantra sem confiar num mestre tântrico qualificado, iremos apenas aumentar nossa confusão. Está dito nas escrituras que, por mais que mexamos a água, nunca produziremos mateiga, do mesmo modo que, por mais que tentemos praticar o tantra sem confiar num Guia Espiritual qualificado, nunca alcançaremos as realizações tântricas. Se, por outro lado, encontrarmos um Guia Espiritual tântrico plenamente qualificado, recebermos iniciações, confiarmos nele com profunda fé, guardarmos nossos votos e compromissos puramente e praticarmos com sinceridade as instruções dos estágios de geração e de conclusão, poderemos facilmente alcançar a iluminação dentro de uma curta vida humana.

Vemos, portanto, que todo o treino espiritual, hinayana ou mahayana, do sutra ou do tantra, depende da orientação e das bênçãos de um Guia Espiritual qualificado.

© Geshe Kelsang Gyatso & New Kadampa Tradition

Livros

O espaço de aprendizagem

Como Meditar
Retiro de Meditação
Sugestão para um programa de retiros
Sessão de Meditação
Preparação para Meditar
Postura de Meditação
Convicções Budistas
O que é mente?
Reencarnação
Compaixão
Renúncia
Carma
Sobre Buda
Os Ensinamentos de Buda
A Iluminação de Buda
Ordenação de Buda
Renúncia de Buda
O Nascimento de Buda
Mais
Glossário de termos budistas
Arte budista
Sobre o Tantra
Livros sobre o tantra
Mestres Tântricos
Apego & Tantra
Níveis do Tantra
Tantra autêntico
Sobre o Darma
Publicações sobre o Darma
Centros de Darma
A prática do Darma
A Roda do Darma
Budadarma