Budismo Kadampa

Nova Tradição Kadampa -União Budista Kadampa Internacional
Fundador: Venerável Geshe Kelsang Gyatso

Por que praticar o Tantra?

É dito freqüentemente que o caminho do Tantra é superior ao caminho do Sutra, mas para entender o porquê disso precisamos nos engajar num estudo preciso de ambos, Sutra e Tantra, ou então nossas afirmações sobre a superioridade do Tantra serão meras palavras.

Além disso, se não estudarmos muito bem tanto o Sutra quanto o Tantra, teremos dificuldade em entender como praticar a união do Sutra e do Tantra e então existe um grande perigo de que tanto rejeitemos a prática do Tantra, quanto ignoremos a prática do Sutra.

Os ensinamentos do Tantra, ou Mantra Secreto como também é chamado, são os mais raros e mais preciosos ensinamentos de Buda. Somente seguindo o caminho do Mantra Secreto podemos atingir a iluminação ou budeidade.

Por que não podemos atingir a plena iluminação apenas praticando os caminhos do Sutra? Há duas razões principais. Primeiro, para atingirmos a budeidade, precisamos concluir o Corpo Verdade e o Corpo Forma de um Buda.

Embora os ensinamentos do Sutra apresentem uma explicação geral de como esses dois corpos são alcançados na dependência das etapas do caminho da sabedoria e do método, eles não apresentam as explicações sobre as causas substanciais verdadeiras e diretas desses dois corpos. A causa substancial do Corpo Verdade de um Buda é a clara luz significativa e a causa substancial do Corpo Forma é o corpo ilusório. Esses ensinamentos são explicados apenas no Mantra Secreto.

A segunda razão pela qual o Sutra não pode nos conduzir à plena iluminação é que os ensinamentos do Sutra não apresentam os métodos para superar as obstruções muito sutis à onisciência – as aparências duais sutis associadas às mentes da aparência branca, vermelho crescente e quase-conquista negra.

Essas três mentes manifestam-se quando nossos ventos internos se dissolvem no canal central durante o sono, durante o processo da morte ou durante a meditação no estágio de conclusão.

Ainda que essas mentes sejam mentes muito sutis, ainda assim elas são mentes contaminadas pois seus objetos – a aparência do espaço permeado por luz branca, a aparência do espaço permeada por luz vermelha e a aparência do espaço permeado por escuridão- aparecem como inerentemente existentes.

Essas aparências de existência inerente são aparências duais sutis e obstruções muito sutis à onisciência. Uma vez que os ensinamentos do Sutra não explicam como reconhecer as mentes sutis de aparência branca, vermelho crescente e quase-conquista negra, os Bodissatavas do Sutra são incapazes até mesmo de reconhecer as aparências duais sutis associadas a eles, quem dirá abandoná-las.

De modo geral, aparência dual é a aparência a mente tanto do objeto quanto de sua existência inerente. Todas as mentes dos seres vivos, exceto à excelsa consciência do equilíbrio meditativo dos Seres Superiores, têm essa aparência.

Uma realização direta da vacuidade com uma mente densa não tem o poder de superar as aparências duais sutis associadas às mentes da aparência branca, vermelho crescente e quase-conquista negra.

A única maneira de abandonar essas aparências duais sutis é realizar a vacuidade diretamente com uma mente muito sutil de clara luz. Considerando que os métodos para manifestar e utilizar a mente muito sutil de clara luz são explicados apenas no Mantra Secreto, qualquer um que deseje atingir a budeidade certamente precisa se engajar nesse caminho.

Para mais informações, ver Solos e Caminhos Tântricos e Clara Luz de Êxtase.

 

© 2015 All rights reserved worldwide
Registered charity 1015054